Testagem para Covid-19 aumenta em laboratórios com proximidade do Dia das Mães

Especialistas observam que mais pessoas sem sintomas da doença estão fazendo testes para visitar famílias, mas alertam que método não evita totalmente contaminações

  • Por Jovem Pan
  • 08/05/2021 11h42
EFE/Federico Anfitti/Archivo A variante Delta é responsável por, pelo menos, duas mortes no Brasil Testes são procurados em laboratórios

Com a aproximação do Dia das Mães, os laboratórios registraram aumento da demanda por testes de Covid-19. O objetivo é procurar uma alternativa para comemorar a data junto aos familiares. Em um laboratório no Centro de São Paulo, que faz testes do tipo RT-PCR, a procura subiu 20%. O diretor do local, o biólogo Flávio Canavez, explica que a maioria das pessoas que estão fazendo o exame não têm nenhum tipo de sintoma, o que indica que elas querem apenas reforçar a segurança. “Com a abertura da economia você tem uma variação, você tem um aumento de procura muito em função de pessoas que estão saindo e estão testando. Nessa semana especificamente você vê um aumento ali em torno de 20% com uma redução da positividade que deve ser característica das situações nas quais as pessoas testam sem ter nenhum sintoma. Quando começou o aumento do número de positivos, a segunda onda, a gente tinha uma positividade no laboratório em torno de 30% e hoje a gente está por volta de 12, 13% de positividade, mostrando que as pessoas que estão saudáveis estão testando mais”, afirmou.

A Organização Mundial da Saúde defende que evitar reuniões familiares é a “aposta mais segura” para este dia das mães. Espaços fechados, mal ventilados e com aglomerações regadas a álcool, como normalmente acontece, podem contribuir para o alastramento da Covid-19.O infectologista Renato Kfouri diz que os testes de Covid-19 podem ajudar, mas alerta que nenhum método é totalmente seguro. “A testagem deve ser próxima ao evento, cerca de 48 horas é suficiente, 24 horas, para que naquele período o risco da pessoa estar com o vírus seja minimizado, mas lembrar que na fase do teste há uma janela. A pessoa pode ter adquirido o vírus, no teste não aparecer e um ou dois dias depois ela manifestar os sintomas, inclusive a presença do vírus nas suas secreções”, afirmou. Para ele, o número de casos da doença pode voltar a subir depois do Dia das Mães. Caso haja encontros, Renato Kfouri relembra a importância do uso de máscaras, de um ambiente aberto e do distanciamento social.

*Com informações da repórter Beatriz Manfredini