Uso de cheques no Brasil tem queda de 93,4% desde 1995

Levantamento da Febraban também aponta diminuição nas movimentações financeiras, que passaram de R$ 2 trilhões para R$ 677 bilhões em 26 anos

  • Por Jovem Pan
  • 15/01/2022 13h17 - Atualizado em 04/02/2022 18h00
Itaci Batista/Estadão Conteúdo Cheque No ano passado, o número de cheques devolvidos foi de 18,6 milhões, representando 8,5% do total

O uso de cheques saiu 23% em 2021 e 93,4% no acumulado desde 1995, de acordo com levantamento da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban). No ano passado, 218,9 milhões de cheques foram compensados, uma diferença considerável em comparação com 1995, quando a marca superou 3,3 bilhões. Os dados também apontam uma redução no volume financeiro dos cheques e no número dos documentos devolvidos. Em 1995, o volume totalizou R$ 2 trilhões, enquanto, em 2021, foram R$ 677 bilhões, o que representa uma queda de 67,4%.

Ainda no ano passado, o número de cheques devolvidos foi de 18,6 milhões, representando 8,5% do total. Em 1996, início da série histórica, foram contabilizadas 63,5 milhões de devoluções. Esse panorama se deve ao avanço dos meios de pagamentos digitais, como internet banking e Pix. O novo costume fez com que o cheque caísse em desuso. A digitalização do sistema bancária teve impulso importante com a entrada do Pix, que já tem adesão de 71% dos brasileiros. Em um ano de funcionamento, são mais de sete bilhões de transações registradas, movimentando R$ 4 trilhões.

Quando você ouve Lula falando sobre a Petrobras, lembra de desenvolvimento ou de corrupção?

Quando você ouve Lula falando sobre a Petrobras, lembra de desenvolvimento ou de corrupção?

Sua resposta foi registrada.

*Com informações do repórter Daniel Lian