Venda de veículos novos recuou 21,63% em 2020, aponta Fenabrave

Taxa representa a maior queda anual desde 2015 para o segmento; para 2021, projeção é de alta de 16%

  • Por Jovem Pan
  • 06/01/2021 06h46 - Atualizado em 06/01/2021 06h49
Marcelo Camargo/Agência BrasilNo entanto, a perspectiva da Fenabrave, em março, no começo da pandemia, era de uma perda no setor de quase 40%

Como era previsto, além da perda humana, a pandemia do novo coronavírus prejudicou diversos setores da economia. Um deles é a da venda de veículos novos, que caiu 21,63% em 2020, segundo dados da Federação Nacional Distribuição de Veículos Automotores. Os fabricantes também tiveram problema com a falta de peças, sendo parte delas importadas de países como Estados Unidos, Alemanha, Coreia do Sul e Japão. Entre os veículos, o ônibus puxou a maior queda, com retração de 33%, já os caminhões registraram a menor redução nas vendas, com 12,31%.

Apesar de ser a maior queda anual desde 2015, as projeções eram ainda piores. A perspectiva da Fenabrave, em março, no começo da pandemia, era de uma perda no setor de quase 40%. Somente na segunda quinzena de maio o cenário começou a melhorar. Segundo Alarico Assumpção Junior, presidente da Federação Nacional Distribuição de Veículos Automotores, alguns fatores beneficiaram a recuperação do comércio. “Agregado com a taxa selic baixa, os juros foram num patamar muito baixo na aquisição de veículos e vale dizer que quase 60% de veículos varejo colocado no mercado são carentes de financiamento. As taxas estando baixo, houve controle da inadimplência e os bancos voltaram mais agressivo, isso melhorou”, relata. Para este ano, a Fenabrave prevê alta de 16% vendas, mas, ainda assim, segundo Alarico, o setor vai levar de cinco a seis anos pra recuperar os prejuízos.

*Com informações da repórter Kallyna Sabino