Executiva da United lembra trajetória humilde e reforça importância da representatividade em empresas

Jacqueline Conrado, Country Manager da companhia de linhas aéreas, apontou que ter ‘valores compartilhados’ com o lugar que você consome e trabalha é essencial

  • Por Jovem Pan
  • 29/11/2021 14h16 - Atualizado em 29/11/2021 15h51
Mulheres Positivas/Reprodução de vídeoJacqueline foi convidada da semana do programa 'Mulheres Positivas'

O programa “Mulheres Positivas“, da Jovem Pan, traz como convidada nesta segunda-feira, 29, Jacqueline Conrado, Country Manager da United Airlines. A executiva de 35 anos, que nasceu e foi criada na periferia de São Paulo, sempre foi incentivada pelos pais a viver a transformação por meio da educação e hoje lembra da importância do empoderamento na vida das mulheres. “A gente como mulher é ensinada nem sempre a colocar a nossa voz, a colocar nossa opinião, a ser quem a gente quer, então qualquer mulher que trabalha no mundo corporativo há muito tempo sabe que é difícil. A gente passa por assédio, nós somos interrompidas muito mais vezes do que os homens, acredito que todas as mulheres passaram por isso”, recordou. Para ela, as empresas estão em um momento de discutir e focar em políticas para evitar violências do tipo contra mulheres, o que não era comum no começo da carreira dela.

Jacqueline lembra que a inclusão de uma mulher em cargos de liderança é importante para discussão de pautas como diversidade e aponta que outros desafios, como o racismo, precisam ser superados. “É muito importante dizer que eu, como mulher branca, sou muito privilegiada quando a gente se compara a mulheres negras que têm outros desafios, muito maiores, por conta do racismo estrutural que tem no país, então claro que eu tive muito menos desafios do que elas, acho que o importante é dizer que todo mundo merece essa oportunidade”, afirmou. Além de dar oportunidades a todos, ter a pluralidade dentro de uma empresa ajuda na atração de clientes plurais para se relacionarem com a marca. “Eu quero trabalhar em empresas e eu quero ser consumidora de empresas que têm valores compartilhados com os meus. Trazer essas pessoas para a mesa, como mulheres, membros da comunidade LGBTQ+, pessoas com deficiência… Isso agrega demais. Tenho certeza que as soluções que você vai trazer para a empresa e para os clientes vão ser mais aderentes às necessidades deles”, analisou.

Trabalhando desde os 16 anos e hoje com uma carreira consolidada, a executiva tem três conceitos fundamentais para quem busca alcançar o sucesso: se conectar com as pessoas, entender uns aos outros e buscar soluções alternativas que possam ter real impacto na vida delas. “Quando você consegue entender as pessoas você consegue ter um time talentoso do teu lado, que trabalha não só pela empresa, mas por você também, porque todo mundo quer que dê certo”, apontou. A transparência e a valorização do cliente e funcionário pelo que eles são também é um fator essencial aos olhos dela. A empresa aproveitou para investir nesses valores durante o período de pandemia, no qual apesar de muitas fronteiras estarem fechadas, a Airlines não parou e continuou a operar voos diários para os EUA.

Como um livro inspirador para mulheres positivas, Jacqueline lembra da obra em inglês “More Than Enough”, da jornalista Elaine Welteroth, que fala da importância das pessoas seguirem com a própria personalidade mesmo diante da sensação de “síndrome de impostor”. Uma obra audiovisual indicada por ela é “Na Natureza Selvagem” e três mulheres inspiradoras que podem servir como “norte” são a executiva Daniela Cachich, da Ambev, que já foi entrevistada pelo programa de Fabi Saad, a empresária e influenciadora Camila Coutinho e Sheila Makeda, empresária e presidente-fundadora do Makeda Cosméticos, empresa brasileira focada para o cuidado do cabelo de mulheres crespas e encaracoladas.

Confira o programa “Mulheres Positivas” desta segunda-feira, 29, na íntegra: