Augusto Nunes: ‘Fachin absolveu Lula por excesso de crimes e o transformou no inocente mais culpado da história’

Ministro anulou todas as condenações do ex-presidente relacionadas às investigações da Operação Lava Jato; para o comentarista, Fachin ‘desmoralizou o STF’

  • Por Jovem Pan
  • 08/03/2021 20h30
Eduardo Matysiak/Estadão ConteúdoLula foi preso em abril de 2018, deixando a cadeia apenas em novembro de 2019

O comentarista Augusto Nunes, do programa Os Pingos nos Is, da Jovem Pan, afirmou, nesta segunda-feira, 8, que a decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), de anular todas as condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva relacionadas às investigações da Operação Lava Jato “desmoraliza a Corte”. Segundo ele, Lula foi “absolvido de todos os pecados”. “Ele [Fachin] que chame a decisão do que quiser, o caso é que se valeu de filigranas jurídicas para tentar desmoralizar a maior operação anti corrupção da história, que liquidou o maior esquema corrupto da história. Não é anulação não, ele absolveu Lula de todos os pecados e, com isso, desmoralizou o STF. Isso sim é desmoralizar uma instituição e colocar em risco a democracia, e tenta desmoralizar os verdadeiros juízes, os de 1ª instância, não é só o Moro, e os desembargados do TRF”, disse Augusto.

Ele lembrou, ainda, que Fachin foi indicado pela ex-presidente Dilma Rousseff. Ou seja, estaria “pagando a conta da madrinha”. “O Fachin demorou, mas pagou a conta. Finalmente começou a pagar a conta ao padrinho, no caso a madrinha [Dilma], que o nomeou ao STF. Ele é apenas um advogado. Até chegar ao Supremo ele não julgou nada, defendeu causas e quase sempre esteve do lado errado. Ele absolveu Lula por excessos de crimes e transformou Lula no inocente mais culpado da história do Brasil”, afirmou. De acordo com ele, se as condenações dos casos do tríplex do Guarujá, do sítio em Atibaia, do interior de São Paulo, e do Instituto Lula forem realmente anuladas, abrirá precedentes para concluir que “não existiu o Petrolão”.

“Se o Lula não tem contas a acertar com a justiça, o Petrolão não existiu, e por consequência deveria terminar o monumento ao cinismo que começou a montar. Tem, por exemplo, que autorizar a devolução do dinheiro das colaborações premiadas. Quem deu dinheiro, pega de volta, já que não houve Petrolão“, ironizou Augusto. “É o que está dizendo, entre outras bobagens, o ministro Fachin. Se o chefe não existiu, não existiu a quadrilha, então devem também indenizar Lula pela prisão injustíssima, segundo Fachin, com a devolução do sítio de Atibaia, já com o Dirceu fantasiado de caseiro. Não existiu nada, nenhuma empreiteira roubou e a Odebrecht inventou aquele departamento de propinas, que tem os codinomes de todos os ladrões, é brincadeira de algum funcionário da empreiteira. O Fachin deveria ser julgado pelo Supremo por ter desmoralizado a Corte com essa decisão.”

Assista ao programa na íntegra: