Augusto Nunes: ‘Nessas eleições, quem sai mais derrotado é Lula’

Para o comentarista, PSOL continua sendo ‘um partido inexpressivo’, e houve exagero na narrativa de que a esquerda cresceu no primeiro turno

  • Por Jovem Pan
  • 17/11/2020 21h11 - Atualizado em 17/11/2020 21h18
Arquivo/Estadão ConteúdoApós derrota de Jilmar Tatto, Lula declarou apoio a Guilherme Boulos, do PSOL

Pela primeira vez em 35 anos, o Partido dos Trabalhadores (PT) não terminou a disputa pela Prefeitura de São Paulo nas duas primeiras colocações. No último domingo, 15, o prefeito Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL) ficaram entre os primeiros mais votados e vão se enfrentar novamente nas urnas no segundo turno, no dia 29 de novembro. Para o comentarista Augusto Nunes, do programa Os Pingos nos Is, da Jovem Pan, “o grande perdedor foi Lula, o chefe do partido”. “Pela primeira vez neste século, o PT vai ter menos de 200 prefeitos e não chegou ao segundo turno em São Paulo. O PT está virando um partido nanico”, afirmou. Augusto questionou, também, as informações de que o PSOL teria aumentado de tamanho com as eleições. Segundo ele, continua sendo “um partido inexpressivo”, e houve exagero na narrativa de que a esquerda cresceu no primeiro turno.

“Os jornais se encontraram entre os derrotados, a manchete que os jornais e a maioria das emissoras de televisão esconderam é que a direita venceu as eleições. Se apoiaram na diminuição de Jair Bolsonaro, que é sem partido”, disse o comentarista. Ele apontou, ainda, que o Republicanos dobrou o número de candidatos eleitos para as prefeituras, assim como o PSOL. “Republicanos foi de 104 para 201, e o PSOL de 2 para 4. Veja a diferença de tratamento. E todos os analistas saudando a ascensão imaginária do PSOL, porque conseguiu o segundo turno em São Paulo. Sendo que as primeiras pesquisas já apontam um desempenho pífio de Boulos. Estão em uma dieta de vitórias e encontram celebração onde dá”, continuou. “De 5.600 cidades, tem 4 prefeitos. Isso é uma piada, é uma maluquice. Você tem a turma da ejaculação precoce, que se entusiasma porque chegou ao segundo turno e não vê o geral, e você também tem a turma que quer a qualquer preço encontrar um substituto para o PT, que está em fase de extinção”, disse Augusto. O comentarista falou, ainda, sobre o desempenho baixo do candidato do PT, Jilmar Tatto, que teve 8,6% dos votos – o pior desempenho da história da sigla na cidade. “Você tem que olhar, em uma eleição, quem ganhou e quem perdeu. Tem gente que é craque em perder, como quem perdeu para esses finalistas [Boulos e Covas].”

Assista ao programa na íntegra: