Eduardo Bolsonaro diz que pedirá abertura de CPI das urnas eletrônicas: ‘Quem se contrapor nega realidade’

Para o deputado, relatório da Polícia Federal é suficiente para instaurar comissão em busca de ‘ouvir todos os lados envolvidos’

  • Por Jovem Pan
  • 04/08/2021 21h34
Dida Sampaio/Estadão Conteúdo - 10/02/2021Eduardo Bolsonaro foi entrevistado pelo programa 'Os Pingos Nos Is' desta quarta-feira, 4

O deputado federal Eduardo Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira, 4, que prepara uma peça para pedir abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito envolvendo urnas eletrônicas. Em conversa com o programa ‘Os Pingos Nos Is’, da Jovem Pan, ele diz há um “fato determinado com suspeitas fundadas” em um relatório da Polícia Federal que mostra tentativas de invasão no sistema do Tribunal Superior Eleitoral em 2018 que permitiriam a abertura da CPI para “ouvir todos os lados envolvidos”. O relatório da PF, citado pelo presidente Jair Bolsonaro no programa desta quarta-feira, traz informações cedidas pelo secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Dutra Janino, dizendo à PF que “existe a possibilidade de manipulação de arquivos de configuração que alimentam o software da urna”. “A estranheza é: foi invadido em outubro, por que somente em novembro foi aberto esse inquérito para uma investigação?”, questionou Eduardo.

Segundo o deputado Filipe Barros (PSL), tanto Giuseppe Janino quanto o atual secretário de Tecnologia foram convocados para audiências públicas na Câmara por três vezes, mas recusaram a presença. “Não temos poder de convocação, então, por isso também, se faz necessário essa CPI”, pontuou. Segundo o deputado Bolsonaro, um dos objetivos da CPI é poder inquirir pessoas para prestar depoimentos sob julgamento e ter poderes para requisitar documentos. Ele também incitou eleitores a pressionarem parlamentares para aprovar a instauração da Comissão quando o texto estiver pronto.

O presidente Jair Bolsonaro, por sua vez, lembrou que o ministro Luís Roberto Barroso deu o aval para a abertura da CPI da Covid-19, em curso atualmente. “É uma CPI da farsa, da mentira, está funcionando para bater no governo, para caluniar o governo. Ela foi instaurada, foi aberta, por decisão do Barroso, então por questão de coerência, acho que o Barroso deveria amanhã lançar uma campanha  para assinarem a ‘CPI do Eduardo Bolsonaro’, por uma questão de coerência, nada mais além disso”, disse. Segundo o presidente, se Barroso estiver em Brasília nesta quinta-feira, 5, ele tentará deixar uma cópia do documento “para ele tomar conhecimento e apoiar a CPI”.

Assista a entrevista completa no programa ‘Os Pingos Nos Is’ desta quarta-feira, 4: