Virologista diz que cloroquina é eficaz em fase inicial: ‘Não está entre as 10 em redução de risco’

Paolo Zanotto foi entrevistado pelo programa ‘Os Pingos Nos Is’ nesta quarta-feira, 16, e afirmou que existem moléculas mais eficazes para tratar a covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 16/06/2021 20h29 - Atualizado em 16/06/2021 20h38
Os Pingos Nos Is/Jovem PanPaolo Zanotto foi entrevistado no programa 'Os Pingos Nos Is' nesta quarta-feira

O virologista Paolo Zanotto afirmou que a hidroxicloroquina é eficiente na fase inicial da Covid-19, mas não está entre as dez primeiras para redução de riscos. Ele foi entrevistado pelo programa “Os Pingos Nos Is“, da Jovem Pan, nesta quarta-feira, 16.  “A gente tem mais 17, 18 moléculas. A hidroxicloroquina, em termos de redução de risco, não está nem entre as 10 primeiras”, afirmou Zanotto. “Apesar dela ser eficiente para controlar a replicação viral na fase inicial e, portanto, evitar o agravamento, ela não é mais a molécula da vez. Tem moléculas muito mais eficazes para redução de risco”, completou. O virologista disse que uma das solicitações feitas em reunião com o presidente Jair Bolsonaro e outros médicos brasileiros era de que todos os fármacos utilizados para tratamento imediato da Covid-19 fossem expostos em farmácias populares para a população. Segundo Zanotto, no entanto, a sugestão não foi acatada pelo governo. 

Virologista fala em epidemia de perseguição no Brasil

Para Paolo Zanotto, o Brasil vive uma “epidemia de perseguição” por parte do Judiciário. “Os ministros do STF tem que começar a respeitar o artigo 5º da Constituição e restituir o estado de direito. Aí a gente acaba com essa epidemia que estamos vendo no Brasil de perseguição e destruição da nossa Constituição e história federativa”, defendeu. O virologista também mostrou preocupação com a perseguição aos médicos e cientistas, tanto no Brasil como em outros países. “Os melhores cientistas do mundo estão sendo ridicularizados por pessoas que tem um currículo que cabe em um cartão de visitas”, afirmou. “Eu nunca vi na história pessoas sendo construídas como cientistas e terem esse nível de influência em uma sociedade que está desesperada, desinformada e totalmente largada”, completou Zanotto.