‘Bolsonaro lê bem a população, mas nunca foi liberal’, diz economista

Leonardo Siqueira participou do programa Pânico nesta sexta-feira, 2, e comentou sobre a atual situação econômica do Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 02/10/2020 14h34 - Atualizado em 02/10/2020 14h58
ReproduçãoLeonardo Siqueira participou nesta sexta-feira, 2, do programa Pânico

O economista Leonardo Siqueira participou do programa Pânico nesta sexta-feira, 2, e analisou se o governo do presidente Jair Bolsonaro pode ser considerado liberal.” O Bolsonaro tem uma qualidade, ele lê muito bem a direção que a população está indo. Mas ele nunca foi liberal, ele viu que a população demandava um estado menor porque o PT gastava muito, pensou no liberalismo e colocou o Paulo Guedes lá, mas se você olha o histórico dele ele votou contra o Plano Real, votou contra o fim do monopólio do petróleo, votou contra o teto de gastos, votou contra várias medidas pró-mercado, sempre teve muita influência militar e estatal, então o histórico dele é esse aí. Só que quando você senta na cadeira é mais fácil mexer com funcionário público e correio ou dar auxilio emergencial de R$ 600? É mais fácil a segunda opção”, disse o economista.

Perguntado sobre qual seria a fonte de recursos do governo para investir no Renda Cidadã, Siqueira afirmou que “não há solução simples”, mas apontou três possíveis caminhos que o governo pode seguir para solucionar o problema. “O problema está há 30 anos aí, se fosse fácil alguém já teria feito. De onde vai sair o dinheiro? Tem três maneiras de fazer isso: pode aumentar imposto, reduzir gastos ou emitir dívidas e imprimir dinheiro, o que resulta na inflação. Vai ter uma inflação maior e juros maior, se ele não fizer as duas primeiras coisas é isso que vai acontecer”. Segundo o economista, a saída é a redução de gastos. “Qual a melhor saída? Reduzir gastos, uma das ideias é no BNDES, diminuir os subsídios”. O problema, segundo o economista, é a falta de articulação política. “Esse governo fica num monte de ideia. O Paulo Guedes tem as ideia dele, mas não tem articulação política e não consegue levar nada para frente”, comentou. “O principal é entender que não tem bala de prata, não tem solução fácil. O ideal é reduzir o BNDES, fazer a reforma tributária para gerar mais emprego, tem que reduzir gastos com reforma administrativa e, vai mexer com grupos de interesses. A ideia é acabar com os privilégios para pensar nos mais pobres”.

Confira partes da entrevista com o economista Leonardo Siqueira, no Pânico, nesta sexta-feira: