‘Já tem uma ou outra pessoa chorando, normal’, diz Léo Lins sobre seu novo show de stand-up

Em entrevista ao Pânico, humorista conta detalhes sobre ‘Bullying Arte’, que foi lançado no YouTube

  • Por Jovem Pan
  • 17/11/2020 14h56 - Atualizado em 17/11/2020 15h06
Imagem: Reprodução / Pânico"Bullying Arte", novo espetáculo lançado por Léo Lins, já acumula mais de 700 mil visualizações no YouTube

Em entrevista ao programa Pânico nesta terça-feira, 17, o humorista Léo Lins falou sobre a estreia de “Bullying Arte”, o seu novo show de stand-up comedy, em seu canal no YouTube. O vídeo já acumula mais de 700 mil visualizações desde o último dia 13, quando foi lançado na plataforma digital.”Nele, conto piadas baseadas em histórias pessoais, casos em que eu fui xingado e notícias. No humor, quanto mais perto a piada estiver do fato, mais engraçada é. Quanto mais sensível também. Será menos engraçado se eu fizer uma piada com algo que aconteceu há 15 anos”. Conhecido por atuar no humor negro, Léo Lins revelou a repercussão que o espetáculo tem tido até o momento. “Por enquanto não deu ‘B.O’ com o YouTube. Já tem uma ou outra pessoa chorando, o que é normal. Eu tento sempre blindar o meu trabalho para atingir o público que curte. Quem não gosta, não consome e tudo certo.”

Ainda durante a conversa, ele apontou os desafios de se praticar o humor negro no Brasil. “Nem todos vão rir de todas as piadas, são graus de sensibilidade diferente. Espalham por aí que só é humor quando todos riem, mas isso é uma imbecilidade. Não faz sentido nenhum. O senso de humor é muito particular e afirmações como essa só existem para blindar um grupo muito sensível”. Segundo o comediante, “apesar de parecer fácil”, o processo de criação de suas piadas ácidas e “pesadas” é complexo. “Piadas pesadas que presam o choque pelo choque não têm graça. A piada precisa ter uma estrutura, gerar um conflito na cabeça do espectador e provocar a surpresa. Não são engraçadas as baseadas em grosseria pela grosseria”, concluiu.

Confira a entrevista com o humorista Léo Lins: