Onyx: Árabes, chineses e russos ‘vão se carnear’ por concessão de ferrovia no Brasil

Em entrevista ao Pânico, o ministro da Cidadania falou sobre a concessão da Ferrogrão, que vai ligar Cuiabá a Santarém

  • Por Jovem Pan
  • 03/08/2020 14h13
José Dias/PROnyx Lorenzoni participou do Pânico nesta segunda-feira (3)

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, acredita que o Brasil vai atrair muitos investimentos no futuro. Em entrevista ao Pânico, da Jovem Pan, nesta segunda-feira (3), ele defendeu que o país tem um grande portfólio para mostrar ao mundo e que no ano que vem, após a pandemia da Covid-19, a economia vai decolar. “Todos estão impressionados com o Brasil na comunidade internacional”, disse, prometendo que o Produto Interno Bruto (PIB) deve crescer mais de 2% ao ano a partir do próximo ano.

Um dos destaques do portfólio brasileiro é a Ferrovia EF-170, conhecida como Ferrogrão. A linha férrea terá mais de 900 quilômetros e vai ligar a capital do Mato Grosso, Cuiabá, à cidade de Santarém, no Pará. Segundo Onyx, o leilão da licitação da ferrovia deve sair até o fim do ano e já há muitos interessados. “A gestão petista era tão ruim que não tinha nenhum candidato [para a concessão]. Mas árabes, chineses e russos vão se carnear para ter a condição de fazer essa ferrovia”, afirmou o ministro, que ainda prometeu “uma série de ações na infraestrutura brasileira”.

Pelo que vê no governo de Jair Bolsonaro, Onyx tem certeza de que a economia vai se recuperar. “Não é otimismo, é realismo”, afirmou. Parte fundamental disso é a reforma tributária, que o Ministério da Economia está apresentando ao Congresso em partes. Por outro lado, o ministro espera que o país receba ainda mais investimentos estrangeiros nos próximos anos. Segundo ele, os gringos estão vendo o Brasil com bons olhos para o futuro. “No ano passado, garantimos R$ 500 bilhões, sem royalties e impostos, de investimentos para os próximos 10 anos”, comemorou o político.