‘Vedava os olhos e saíam textos’, diz Nilson Cesar sobre livro psicografado que será relançado

Em entrevista ao Pânico, o narrador falou sobre o período em que lutou contra a depressão: ‘Afeta o cérebro e te atinge espiritualmente, você passa a ter um desequilíbrio’

  • Por Jovem Pan
  • 15/10/2021 15h33
Reprodução/PânicoO narrador esportivo e escritor Nilson Cesar foi o convidado do programa Pânico desta sexta-feira, 15

Nesta sexta-feira, 15, o programa Pânico recebeu Nilson Cesar, narrador esportivo da Jovem Pan. Além de sua participação na cobertura das corridas de Fórmula 1, Nilton também é autor de livros, e anunciou o relançamento de sua primeira obra, Viva Sem Medos”, obra kardecista psicografada que busca, em seu enredo, atribuir sentido à vida. “Eu era induzido a ir até o computador e, mesmo sem teclado ali, ia com uma venda nos olhos e saíam os textos. Eu não entendia que raio era aquilo, ia toda noite para o computador, registrava e mostrava para minha mulher, dizia que não era eu que estava escrevendo. O cara assinava como Carlos Augusto do Nascimento. Eu pensava ‘Quem é esse cara?’. Procurei a editora na época, o pessoal se interessou e se emocionou, pois nunca tinham lançado um livro psicografado. Era uma missão de vida, não existe santidade na terra, aqui é um território de aprendizado.”

Nilson relatou sobre seus primeiros contatos com o espiritismo. Tudo começou após passar por um quadro de depressão no início dos anos 2000, quando batalhava contra outros problemas de saúde. “Passei por um problema de saúde, me vi num momento que eu pensei que jamais passaria. As pessoas acham que é besteira quando se fala em depressão, acham que é doença de quem não quer nada com nada, não quer trabalhar. É um negócio bravíssimo. A depressão afeta o cérebro e te atinge espiritualmente. Tenho convicção, você passa a ter desequilíbrio espiritual. Eu não entendia nada do que acontecia comigo, eu viajava muito para fora, tinha uma saúde de ferro, e de repente eu me vi nessa situação.”

Para o comentarista, existem diferentes energias no mundo, que podem causar danos individuais e coletivos. “Há o canal da esperança amor e perdão, mas você abre o da desesperança, da mágoa, do rancor. É como uma frequência fina de rádio, a opção é você que busca, você constrói de acordo com a opção que você vai buscar.” Nilson ainda relacionou a teoria dos canais com fatos do cotidiano, como ideologias políticas e torcidas nos esportes. “Estamos num momento perigoso, porque o que desestabiliza são energias ruins, e o planeta está numa energia de atrito. Se você gosta de um segmento político, é odiado por outro, se você torce para um time de futebol, é odiado por outro. A rede social amplifica e a garotada é atingida.”

Confira na íntegra a entrevista com Nilson Cesar: