Voltando aos palcos no teatro drive-in, Mateus Solano diz que formato é ‘desafiador, mas seguro’ durante pandemia

Ator faz parte do elenco de ‘Irma Vap’, em cartaz no Drive-in do Espaço das Américas, em São Paulo, e contou no programa Pânico os preparativos para a peça encenada ao ar livre

  • Por Jovem Pan
  • 07/10/2020 15h50
ReproduçãoMateus Solano participou do programa Pânico nesta quarta-feira, 7

O ator Mateus Solano participou do programa Pânico nesta quarta-feira, 7, e contou detalhes sobre sua primeira apresentação de teatro em meio a pandemia da Covid-19, no próximo final de semana. Ao lado de Luis Miranda, Mateus vai contracenar ‘Irma Vap’ nos dias 9 e 10 de outubro, às 21h, no Drive-In Espaço das Américas. Para ele, o formato trás grandes desafios. “Vamos saber no dia as adaptações que o espaço vai pedir da gente, porque não tem condição de montar lá, é espaço aberto. Vai ser uma experiência diferente e muito nova. O teatro tem dessas coisas e vamos lidar no dia com os possíveis problemas. O que eu acho legal é que essa montagem é meio vintage, tem uma coisa de trazer os anos 80 e trazer alguns ícones do terror, da década de 80 e é legal fazer no drive-in uma coisa que é bem anos 80. É uma oportunidade de dar um entretenimento seguro agora”, conta. Para quem ainda não conhece a adaptação dirigida por Jorge Jarjalla, Mateus dá uma ideia do que o público vai encontrar. “O texto tem referências a lobisomem e vampiro, e é inspirada livremente em ‘Rebeca’, que é um filme muito bacana do Hitchcock, mas o Jorge resignificou essa peça. A gente colocou a peça, que geralmente é encenada numa mansão, num vagão fantasma. Dançamos Thriller, do Michael Jackson, tem referências de ‘Pague para entrar, Reze pra sair’ e todo esse universo do terror dos anos 80“, disse.

Mateus também comentou sobre como se comportou artisticamente durante a quarentena. “Com a pandemia tivemos a oportunidade de olhar pra dentro, me pensei muito como ser humano. Voltamos a gravar ‘Escolinha do Professor Raimundo’, a 6ª temporada, e eu exercitei voltar na pandemia e ver como eu estava. Comecei a pesquisar o que eu quero fazer no teatro, não fiquei parado e bato palmas para quem fez da pandemia um palco e continuou produzindo”, disse. Filho de diplomata e tendo morado nos Estados Unidos quando criança, Solano comentou sobre projetos nacionais gravados em inglês. “É claro que não descarto (projetos paralelos). Agora na TV Globo eu ia fazer um papel falando em inglês, mas acho que não curtiram muito meu inglês. É muito difícil interpretar em outra língua, parece que você tá começando do zero”, finalizou.

Confira abaixo a íntegra da entrevista de Mateus Solano, no Pânico: