Maria Eugênia conta bastidores do reality show ‘Adotada’ da MTV

Apresentadora fala sobre expulsão da casa de uma ‘família’, que se recusou a participar do spin-off do programa

  • Por Jovem Pan
  • 11/11/2020 13h02 - Atualizado em 11/11/2020 13h13
Divulgação/Cleiby Trevisan'Adotada #TBT' foi lançado em 3 de novembro. São lançados um episódio por semana na MTV Brasil

Maria Eugênia Suconic, criadora e estrela do reality show “Adotada“, deu entrevista ao programa Tô na Pan desta quarta-feira, 11, e contou os bastidores da produção da MTV Brasil. Mareu, como é conhecida, contou que a ideia surgiu da sua curiosidade em saber como seria viver na casa de outras pessoas. Durante a adolescência, enquanto visitava os colegas, este sempre foi um pensamento recorrente na cabeça de Mareu. A série, que estreou em 2014, já ganhou o mundo e foi o primeiro produto brasileiro da MTV a ser exibido internacionalmente. “Adotada #TBT” foi lançado em 3 de novembro deste ano e os episódios vão para o ar toda terça à noite.

A criadora passou pela casa de pelo menos 60 famílias para a gravação do reality show. Ela conta que não saberia escolher uma família, porque a experiência a tornou íntima de muitas. “Escolher daria treta na família. Você pode escolher um favorito na sua família?”, responde à Lígia Mendes. “Amo todas as famílias. Cada uma me ensinou uma coisa diferente”, conta. Com a pandemia do coronavírus, o spin-off teve que ser readaptado. “Pegamos uma garagem da produtora. Eu entrei e imaginei o que poderia acontecer ali dentro”, conta sobre o ‘Adotada #TBT”. A garagem acabou se transformando em um camarim com bar, penteadeira com espelho falante e todo um universo lúdico. “Foi uma outra vertente do meu trabalho, foi bem bacana”, relata sobre a experiência. Na versão original, Mareu acabava dando conselhos e toques para resolver os problemas das famílias. Com o TBT, é ela quem recebe os feedbacks. “São eles que escrevem agora o dossiê para mim. Então, eu estou sentindo na pele essa emoção. Alguns foram super legais, mas eu tomei umas pedradas também de coisa que eu deixei e a pessoa ficou bem brava”, conta. Mareu conta que uma personagem, por exemplo, a expulsou da casa da família, nunca mais falou com ela e se recusou a participar do spin-off.