MC Zaac anuncia parceria com Ivete Sangalo: ‘Quero desmarginalizar o funk’

Cantor também falou sobre como está lidando com exposição e das parcerias com Anitta

  • Por Jovem Pan
  • 09/11/2020 12h45 - Atualizado em 09/11/2020 12h53
Reprodução/Instagram/mczaacMC Zaac é tímido e não é muito ativo nas redes sociais

Depois de gravar grandes sucessos com Anitta e Luísa Sonza, MC Zaac anunciou com exclusividade no Tô na Pan desta segunda-feira, 9, mais uma parceria de peso. O artista se preparar para lançar uma música com Ivete Sangalo ainda este ano. “Será um lançamento muito bom, a música tem muito dela e também muito de mim. É uma mistura. Está muito zica, estou muito ansioso para ouvir depois que for lançanda”, afirmou o músico que é dono de hits como Vai Malandra, Bola Rebola e Desce pro Play – com a participação do rapper americano Tyga.

MC Zaac tem 27 anos, nasceu em Diadema, no ABC paulista, e tinha o sonho de ouvir sua música nos bailes que frequentava. O sucesso veio e, mesmo com seu som bombando no Brasil e no exterior, ele disse que ainda não se acostumou com a exposição da sua imagem. “Sempre fui muito tímido e sempre fui meio receoso nessa parte [de aparecer], acabei depositando minha energia no estúdio, nas minhas músicas”, disse o artista que já soma prêmios no Brasil e no exterior. Mesmo não sendo muito ativo nas redes sociais, ele explicou que sua equipe está fazendo um trabalho para que as pessoas conheçam a voz por trás de tantas músicas de sucesso. “As pessoas tinham dificuldade de assimilar quem era o artista por trás do sucesso”, comentou.

As parcerias de sucesso com Anitta ajudou na visibilidade de Zaac. Ele não confirmou se vai lançar uma nova música com a poderosa, mas disse que eles brincaram dizendo que todo ano teriam que fazer uma parceria porque o público gostou. “Já falei para a Anitta deixar um microfone no palco que a gente só vai cantar junto daqui a pouco, vamos ser uma dupla sertaneja”, brincou o cantor que tem como objetivo usar seu talento para dar mais visibilidade para o funk. “Quero desmarginalizar o funk, quero que o funk seja abraçado, quero devolver para o funk tudo o que ele me deu”, finalizou.