Ícaro Silva diz que Aguinaldo Silva reserva ‘papéis medíocres’ para negros em suas novelas

Ator criticou o autor de ‘Império’ após ele fazer um comentário polêmico sobre a cantora Beyoncé

  • Por Jovem Pan
  • 27/08/2021 11h34 - Atualizado em 27/08/2021 18h01
Reprodução/Instagram/icaro/27.08.2021Ícaro Silva criticou Aguinaldo Silva após post sobre Beyoncé

Após receber críticas dos atores Jéssica Ellen e Rafael Zulu por fazer um comentário polêmico sobre a cantora Beyoncé, que usou um colar com um diamante avaliado em R$ 160 milhões, Aguinaldo Silva voltou a ser criticado, agora pelo ator Ícaro Silva. Em um post feito no Instagram, o artista marcou o autor de novelas como “Império” e “Senhora do Destino” e mandou um recado direto: “Não nos conhecemos e é provável que isso nunca aconteça, dado que já sou muito grande para os papéis medíocres reservados aos pretos em suas obras, mas me sinto no dever de te apresentar Jô do Espírito Santo, uma mulher preta, nordestina e periférica, que criou dois filhos na favela, sob violência constante, com um salário de faxineira. Isso porque tenho certeza que você não é capaz de falar por Joelly, nem por qualquer outra mulher preta brasileira. Jô, que tinha 25 anos quando me deu à luz, me ensinou tudo sobre exaltar e celebrar os nossos em sua ascensão. Me ensinou a torcer por todo e qualquer preto que estivesse posto à prova, como você tenta agora fazer com a imensurável Beyoncé”.

O ator continuou dizendo que teve uma educação antirracista e que, por causa da sua mãe, sua referência na infância era Biba, personagem vivida por Cinthya Rachel no infantil “Castelo Rá-Tim-Bum”, e não a apresentadora Xuxa. No post feito por Aguinaldo no Twitter, ele escreveu: “Joelly tem 37 anos, é negra, diarista, mãe de três filhos e nenhum pai para ajudar a criá-los. Fico aqui a imaginar o que lhe passa pela cabeça quando ela lê notícias como essa sobre o colar milionário de Beyoncé. Gente, vamos cair um pouco na real, tá legal? Para mim, justiça social só quando qualquer mulher, independente da raça, idade, religião ou fama puder usá-lo”. Para Ícaro, o autor não tem o direito de citar histórias como a de Joelly para criticar a cantora americana.

“Aprendi que haveria aqueles que se usariam de sua língua ferina e seu privilégio branco para tentar diminuir nossas conquistas e apontar nosso lugar. Você não sabe nada de Joelly, Aguinaldo. Não sabe nada de Jô, nem de Beyoncé. É visível que não. Seu olhar viciado sobre a sociedade brasileira, expresso em novelas ainda hoje tão embranquecidas, não contempla nossa história, tampouco nosso tamanho”, escreveu Ícaro, que também enfatizou que quer ver Beyoncé “carregada de diamantes”. “Quero vê-la coberta da cabeça aos pés das pedras mais preciosas já roubadas do continente africano pelos europeus. Quero ver Beyoncé nadando em um cofre de diamantes como se fosse tio Patinhas.” O ator declarou ainda que a intérprete de Halo representa o presente e o futuro. “Beyoncé é Joelly, Jô, Taís, Pathy, Aline, Sheron, Cris, Jéssica, Sofia, Lellê, Iza, Uriass, Drika, Tassia, Linn, Liniker, Alcione, Eliana Pittman, Carol, Indira e Elza. Beyoncé sou eu”, concluiu.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Silva (@icaro)