Conheça a cantora que passou Anitta e igualou Chico Buarque no número de indicações ao Grammy Latino

  • Por Eduardo F. Filho/ Jovem Pan
  • 21/09/2018 15h02 - Atualizado em 20/09/2018 22h04
Reprodução Facebook Anaadi está concorrendo em três indicações ao Grammy Latino, entre eles o prêmio mais importante da noite, Gravação do Ano

A lista de indicados ao Grammy latino saiu na manhã desta quinta-feira,20. No meio de nomes importantes, consagrados e com alguns anos de carreira, como Anitta, Chico Buarque, Pabllo Vittar e Chitãozinho & Xororó, uma estreante gaúcha ganha destaque.  Ana Paula Lonardi de Souza, conhecida também como Anaadi. Destaque na segunda edição do reality show musical “The Voice”,  “Noturnos”, seu álbum de estreia, ela igualou um dos maiores cantores de MPB do país, Chico Buarque, em números de indicações (três) e passou os de Anitta (dois). Além de concorrer a Artista Revelação e Melhor Álbum Pop em português, a cantora entra no seleto grupo de brasileiros que já disputaram o melhor  prêmio da noite, o de Gravação do Ano com a música “É Fake (Homem Barato)”.

Em entrevista exclusiva à Jovem Pan, Anaadi revela que ficou surpresa com a indicação e que nunca havia pensando em participar do maior prêmio da música Latina. “Eu estou até agora emocionada, especialmente por ser um trabalho independente e idealista”. Sem o apoio de gravadoras e de patrocínios, a cantora revela que o disco foi inteiramente bancado por ela e pelo produtor, e por isso, levou seis anos para ficar pronto. “Ele é voltado para estéticas musicais e para a filosofia de vida. O disco não buscava uma veia comercial então eu fico muito surpresa e muito feliz com as indicações porque pra mim é sinal de que estamos no caminho certo”.

O Álbum faz parte de uma trilogia, “Noturnos” é o primeiro e representa o purgatório, como se fosse o mundo em que vivemos hoje. O segundo será lançado em 2019 e se chamará “Iluminar”, representará o céu, uma utopia, tudo que as pessoas tentam ser e seguir. O terceiro ainda está sendo “concebido”, mas por falta de verbas e dinheiro, assim como o primeiro, “vai levar um tempo para ser finalizado” e deverá representar um inferno “um pouco diferente”, “o meu inferno artisticamente sera subvertido como um espaço de liberdade, prazer, alegria, sem nenhuma preocupação”, revela a cantora.

A música “É Fake (Homem Barato)”, concorrente na categoria Gravação do Ano, foi feita pensando em todas as mulheres e em seus “relacionamentos líquidos”, passageiros. Anaadi a resume como uma “ação feminina”.

“Eu tinha essa música há algum tempo na minha cabeça. Eu queria trazer um pouco a mulher para o lugar que sempre lhe foi negado que é o lugar de agente principal. Ela sempre foi vista como objeto que é analisado e nessa música é a mulher que analisa o homem é a mulher que diz de quem ela gosta e de quem ela não gosta quem ela acha verdadeiro e de quem ela acha fake”, explica Anaadi. “Eu espero poder representar bem o Brasil com o meu trabalho”.

Indagada sobre se apresentar no maior prêmio de música latina e dividir as indicações entre os melhores cantores, a gaúcha é humilde e só espera não ter “um ataque cardíaco na frente de todos”. Surpresa ao ser informada que se sobressaiu nas indicações de Anitta e Chico Buarque, ela afirma que não se sente acima ou mais importante do que ninguém. “Chico Buarque eu tenho o máximo respeito, é um pilar da nossa música brasileira, inclusive eu gravei uma musica dele no meu disco. Eu só reverencio o trabalho, a pessoa e tudo o que o Chico representa. E a Anitta também é uma grande profissional da música, tenho todo o respeito por todas as conquistas e trajetórias que ela tem feito e construído”.

A 19ª edição da cerimônia será realizada no dia 15 de novembro, na Arena do hotel MGM Grand, em Las Vegas. Anaadi já começou a se programar para a viagem. Vamos torcer para que ela represente bem o Brasil e possa trazer o tão esperado gramofone para casa.