Sony cancela estreia de “A Entrevista” nos EUA após ameaça de hackers

  • Por Agencia EFE
  • 17/12/2014 22h29

Los Angeles (EUA.), 17 dez (EFE).- A Sony Pictures Entertainment anunciou nesta quarta-feira o cancelamento da estreia nos EUA do filme “A Entrevista”, previsto para 25 de dezembro, depois de as principais salas de cinema do país se recusassem a exibir o filme com medo de um ato terrorista.

Ontem um grupo denominado Guardians of Peace, que reivindicaram o ciberataque à Sony em 24 de novembro, emitiu um comunicado advertindo que semeará o terror nos cinemas que exibirem o filme e comparou seu plano com os atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos.

Pouco antes do anúncio da Sony, as empresas que administram as cinco cadeias de salas de cinema mais importantes do país optaram por não correr riscos e retirar “A Entrevista” de sua grade.

O estúdio tinha dado aos cinemas liberdade para se posicionarem relação à estreia do longa-metragem.

“Em vista da maioria de nossos exibidores terem decidido não projetar o filme, não seguiremos adiante com a estreia planejada para 25 de dezembro. Respeitamos e entendemos nossos parceiros e compartilhamos completamente seu interesse máximo na segurança dos funcionários e dos espectadores”, afirmou Sony em comunicado.

“A Entrevista” se transformou em protagonista do ataque dos hackers à Sony, no qual foram roubados dados privados, desde números de identificação fiscal até fichas médicas dos mais de três mil funcionários da companhia, e de ex-empregados que do estúdio nos últimos anos.

O filme é uma comédia de Seth Rogen e James Franco sobre um complô americano para acabar com a vida do ditador norte-coreano Kim Jong-un.

Os “hackers” tinham manifestado sua oposição à estreia de “A Entrevista”, e acredita-se que a origem do ataque tenha relação com a Coreia do Norte, embora o regime do país asiático tenha negado envolvimento, e só qualificado o longa de “um ato de guerra”.

As autoridades americanas não acharam evidências que exista um plano para atentar contra “A Entrevista”, cuja pré-estreia aconteceu dia 11 sem incidentes em Los Angeles.

“A Sony Pictures foi vítima de um ataque criminoso sem precedentes contra nossos funcionários, nossos consumidores e nosso negócio. Quem nos atacou buscaram destruir nosso espírito e nossa moral, tudo para aparentemente frustrar a estreia de um filme que não os agradou”, comentou a Sony. EFE