Associação dos Nordestinos processa Globo e Karol Conká após polêmica no ‘BBB 21’

Anesp decidiu mover a ação por sentir que a rapper discriminou os nordestinos ao falar de Juliette; associação quer direito de resposta na Globo e que a ex-BBB faça doações de cestas básicas

  • Por William Amorim
  • 10/03/2021 14h09 - Atualizado em 10/03/2021 14h21
Reprodução/Globo/10.03.2021Karol Conká foi acusada de xenofobia no 'BBB 21' por falar do jeito de Juliette

A polêmica participação de Karol Conká no “BBB 21” ainda está repercutindo e, agora, tanto a rapper quanto a Globo estão sendo processadas pela Associação dos Nordestinos do Estado de São Paulo (Anesp). A ação foi movida devido a declaração feita pela cantora dentro da casa, na qual critica o jeito de Juliette, que é paraibana. O comentário de Karol teve grande repercussão, pois foi visto pelo público como xenofóbico. “Eu sou de Curitiba, é uma cidade muito reservadinha. Por mais que eu seja artista e rode o mundo, eu tenho meus costumes. Eu tenho muita educação para falar com as pessoas, eu tenho meu jeito brincalhão, mas reparem que eu não invado [o espaço do outro], não desrespeito, não falo pegando nas pessoas. Eu acho estranho, mas essa pessoa [Juliette] falou que não faz por mal”, declarou Karol no reality.

Em entrevista à Jovem Pan, a fundadora e vice-presidente da Anesp, Francis Bezerra, disse que “é uma vergonha, em pleno século 21, a comunidade nordestina ser discriminada e tratada como gente inferior”. “Nós processamos a Globo e a Karol. A discriminação por origem é crime e nós não aguentamos mais, as nossas crianças sofrem com essa discriminação”, afirmou. “Não podemos aceitar que a pessoa se sinta uma raça superior ao nordestino. Grande parte da intelectualidade do país vem do Nordeste. Nós somos Chico Buarque, nós somos Caetano Veloso, nós somos Gal Costa. Enfim, não vamos aguentar isso. Não é o primeiro processo que nós abrimos, há anos estamos nessa luta, vamos para o enfrentamento.”

Francis explicou que no processo eles pedem que a Globo dê um direito de resposta e desejam que a emissora divulgue a exposição Memória Cultural Nordestina, que coloca em evidência grandes personalidades do Nordeste brasileiro. Quanto a Karol, a Anesp pede a doação de mil cestas básicas que serão distribuídas para famílias que estão passando por dificuldades na pandemia. Na ação, protocolada no Rio de Janeiro, a Anesp alega que Karol cometeu os crimes de difamação e xenofobia. A Jovem Pan procurou as assessorias da cantora e da emissora, mas ainda obteve retorno.