Demi Lovato lança série sobre vícios e recaída: ‘Misturei metanfetamina com cocaína’

Nos primeiros episódios de ‘Dancing With the Devil’, cantora também falou do abuso sexual que sofreu

  • Por Jovem Pan
  • 24/03/2021 12h03 - Atualizado em 24/03/2021 12h16
Reprodução/YouTube/24.03.2021Demi Lovato falou sobre sobre a overdose que teve nos dois primeiros episódios de série documental

A série documental “Dancing With the Devil”, sobre Demi Lovato, foi lançada na última terça-feira, 23, e os dois primeiros episódios já estão disponíveis no YouTube e foram muito bem avaliados no Rotten Tomatoes – um agregador de críticas de cinema e televisão. Antes mesmo de estrear, a produção já tinha gerado grandes expectativas porque foi divulgado pela artista que ela iria abordar detalhes do antes e depois da overdose quase fatal que teve em 2018. Os próximos dois episódios serão lançados nas próximas duas semanas. Nos episódios já divulgados, Demi falou sobre o vício em drogas e como foi ter uma recaída após passar anos sóbria. “Eu usei drogas que nunca tinha usado antes. Eu nunca tinha usado metanfetamina e experimentei. Misturei com ecstasy, cocaína, maconha, álcool e Oxycontin [medicamento analgésico]. Só isso poderia ter me matado”, disse a cantora no primeiro episódio da série.

Demi começou a usar heroína e crack para fins recreativos e acabou experimentando essas drogas quando um traficante não tinha cocaína e Xanax, que eram as substâncias favoritas da cantora. Segundo divulgado pelo Huffington Post, o vício em ambas as drogas ficou tão forte que ela se tornou uma usuária assídua dessas novas substâncias depois da turnê “Tell Me You Love Me”. Em julho de 2018, noite em que teve a overdose, Demi estava com amigos e, quando se despediu, disse a eles que ia para cama, mas, na verdade, ligou para o seu traficante. Após a overdose, a artista disse que acordou no hospital “chocada” porque ela pensava que você só poderia ter uma se estivesse injetando as drogas no corpo.

“Não estou dizendo que não usei agulhas, mas naquela noite eu não estava injetando nada no meu corpo, estava fumando. Essa é outra razão pela qual eu fiquei tão chocada quando acordei no hospital, porque eu estava, tipo: ‘Não, eu não estava injetando nada. Não posso ter tido uma overdose’”, contou Demi que, naquele momento, ainda não sabia que precisava de ajuda. No segundo episódio da série, ela falou sobre o abuso que sofreu do traficante que vendeu as drogas a ela pouco antes da overdose. “Quando me encontraram, eu estava nua, estava azul. Fiquei literalmente morta depois que ele se aproveitou de mim. E quando acordei no hospital, eles perguntaram se eu havia feito sexo consensual. Tive um flash dele em cima de mim. Eu vi aquele flash e disse: ‘Sim’. Na verdade, não foi até um mês após a overdose que eu percebi: ‘Ei, você não estava em nenhum estado de espírito para tomar uma decisão consensual.’ Esse tipo de trauma não desaparece da noite para o dia.”