Artilharias e hat-tricks: as armas de Cristiano Ronaldo pela Bola de Ouro

  • Por Jovem Pan
  • 06/01/2016 12h17
EFE Com 57 gols em 2015

Três vezes eleito melhor jogador do mundo, Cristiano Ronaldo disputa pela oitava vez o prêmio entregue pela Fifa em parceria com a revista France Football. Aos 30 anos, o português, atual vencedor da Bola de Ouro, chega à premiação sem conquistar nenhum título em 2015, mas com um número absurdo de gols no ano.

Melhor no primeiro semestre, o português vê na segunda metade do ano uma pedra em seu caminho para a conquista do quarto prêmio. É, principalmente, a primeira parte de 2015 que assegura CR7 ao lado de Messi e Neymar na final da Bola de Ouro: o camisa 7 do Real Madrid fechou o primeiro semestre como artilheiro isolado do Campeonato Espanhol e dividiu o posto de goleador máximo da Liga dos Campeões da Europa com seus concorrentes do Barcelona.

Somando todas as competições que disputou em 2015, Cristiano Ronaldo marcou mais gols do que qualquer outro jogador das cinco principais ligas do mundo (Inglaterra, Espanha, Alemanha, Itália e França). Em 30 jogos, o craque merengue marcou 57 gols. A distribuição dos gols do português entre os dois semestres mostra o melhor desempenho no início do ano: foram 32 gols na primeira metade e 25 no segundo semestre. Acostumado a balançar as redes, CR7 se mostrou bom em servir os companheiros no ano: foram 12 assistências aos colegas.

Dos 30 jogos que fez no ano, Cristiano marcou dois gols ou mais quatorze vezes. Em duas oportunidades, o português marcou 5 gols em partidas distintas (diante do Granada e diante do Espanyol, em jogos pelo Campeonato Espanhol); uma vez, CR7 marcou 4 num jogo só (diante do Malmo, na Liga dos Campeões); e em cinco oportunidades o camisa 7 conseguiu marcar hat-tricks (três gols diante do Sevilha, Espanyol, Getafe, seleção armênia e Shakhtar).

Problemas com o técnico Rafa Benítez, porém, atrapalharam não só Cristiano, mas todo o Real Madrid. De acordo com a imprensa espanhola, o ex-treinador merengue chegou a se desentender com o português que não aprovava seu trabalho. A instabilidade resultou numa campanha irregular do clube após as férias de verão na Europa.