Atlético-MG critica decisão de Kalil sobre proibição de público e diz ter cumprido protocolo contra o River

Em nota, a diretoria afirma que, com apenas 30% de sua capacidade e público testado, os jogos ‘não representam risco maior do que feiras, shoppings, transporte público e outros’

  • Por Jovem Pan
  • 23/08/2021 17h46 - Atualizado em 23/08/2021 19h48
Foto: FERNANDO MORENO/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO Aglomeração da torcida do Atlético-MG no Mineirão em partida diante do River Plate, pela Libertadores Aglomeração da torcida do Atlético-MG no Mineirão em partida diante do River Plate, pela Libertadores

O Atlético-MG emitiu um comunicado na tarde desta segunda-feira, 23, criticando o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, que novamente proibiu a presença de público na capital de Minas Gerais após as aglomerações nas partida da semana passada entre Galo e River, pela Copa Libertadores, e Cruzeiro x Confiança, pela Série B do Campeonato Brasileiro. Em nota, a diretoria diz que, com apenas 30% de sua capacidade e público testado, os jogos “não representam risco maior do que feiras, shoppings, transporte público e outros.”

“O Galo entende ser adequada a reabertura desses estabelecimentos, bem como de bares, restaurantes, teatros, escolas, cinemas e eventos, que já estão autorizados na capital mineira. O que não se entende é o porquê de se tratar diferentemente os jogos de futebol. Quantas famílias, afinal, dependem do movimento do futebol? O avanço da vacinação em BH não está muito dissonante daquele registrado em cidades da Europa e dos EUA, onde torcedores já frequentam estádios com carga muito superior a 30%. O que toda a população brasileira espera, depois de quase um ano e meio de confinamento e restrições, é que o avanço da vacinação permita a volta gradual das atividades em diferentes áreas, como já vem acontecendo em várias cidades, inclusive nesta capital”, prossegue o comunicado.

Após a repercussão negativa da partida do Atlético-MG contra o River, onde mais de 17 mil pessoas se aglomeraram no Mineirão para acompanhar o jogo das quartas de final da Libertadores, o prefeito disse que ficou desesperado com as imagens. Em nota, o Atlético-MG assegurou que não excedeu o limite de 30% estabelecido pela Prefeitura. “Sobre as declarações do prefeito, colocando em dúvida a quantidade de pessoas no estádio, o Atlético afirma que o público total foi de 17.030 pessoas, abaixo, portanto, dos 30% permitidos. Além dos torcedores, estavam presentes cerca de mil pessoas que trabalharam no jogo, entre as equipes do Galo e do Mineirão. Os números estão abertos a eventuais auditorias, para que não reste dúvida quanto à lisura nos procedimentos de Clube e Mineirão”, disse o Galo, que também negou ter dado ingressos aos torcedores das organizadas. “A atual gestão não adota a prática de doar ingressos ou materiais esportivos para quem quer que seja. Todos os ingressos foram, portanto, vendidos”, completou.

Veja a nota na íntegra:

Sobre a decisão da PBH, que voltou a proibir a presença de público nos estádios da capital, o Atlético tem as seguintes considerações:

1. O Clube discorda veementemente da decisão e afirma que cumpriu TODAS as exigências do Protocolo de Funcionamento para Jogos de Futebol Profissional, emitido pela própria PBH, na Portaria SMSA/SUS-BH Nº 0332/2021;

2. Os estádios de futebol, com apenas 30% de sua capacidade e público testado, não representam risco maior do que feiras, shoppings, transporte público e outros. O Galo entende ser adequada a reabertura desses estabelecimentos, bem como de bares, restaurantes, teatros, escolas, cinemas e eventos, que já estão autorizados na capital mineira. O que não se entende é o porquê de se tratar diferentemente os jogos de futebol. Quantas famílias, afinal, dependem do movimento do futebol?;

3. O avanço da vacinação em BH não está muito dissonante daquele registrado em cidades da Europa e dos EUA, onde torcedores já frequentam estádios com carga muito superior a 30%. O que toda a população brasileira espera, depois de quase um ano e meio de confinamento e restrições, é que o avanço da vacinação permita a volta gradual das atividades em diferentes áreas, como já vem acontecendo em várias cidades, inclusive nesta capital. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, 75,69% da população de Belo Horizonte já tomou a primeira dose da vacina e cerca de 40% já está totalmente imunizada (Nos EUA, por exemplo, essa média é de 52%);

4. Sobre as declarações do prefeito, colocando em dúvida a quantidade de pessoas no estádio, o Atlético afirma que o público total foi de 17.030 pessoas, abaixo, portanto, dos 30% permitidos. Além dos torcedores, estavam presentes cerca de mil pessoas que trabalharam no jogo, entre as equipes do Galo e do Mineirão. Os números estão abertos a eventuais auditorias, para que não reste dúvida quanto à lisura nos procedimentos de Clube e Mineirão;

5. Outrossim, sobre eventuais suspeitas de que o Clube teria repassado gratuitamente ingressos para torcidas organizadas, o Atlético informa que a atual gestão não adota a prática de doar ingressos ou materiais esportivos para quem quer que seja. Todos os ingressos foram, portanto, vendidos;

6. Ressalte-se que o Galo fez intensa campanha informativa para alertar a torcida sobre o protocolo sanitário, principalmente no que tange ao uso de máscaras, ao distanciamento social e à obrigatoriedade de testagem. A propósito, o jogo Atletico x River Plate gerou a maior testagem em massa da história de BH, sem qualquer custo ao poder público;

7. Mesmo sofrendo perdas financeiras que beiram 50 milhões de reais, apenas em bilheteria, o Atlético foi um aliado do poder público no combate à pandemia, cumprindo todas as normas estabelecidas. E continuará a sê-lo, para isso, pede bom senso e equilíbrio. O Clube está aberto ao diálogo para, conjuntamente com as autoridades e partes envolvidas, buscar soluções e melhorias que possam tornar ainda mais segura a presença do torcedor no estádio;

8. Por fim, o Galo afirma que a presença da torcida no jogo conta o River Plate fez toda a diferença para o time e continuará a fazê-lo nos próximos confrontos.

Queremos ser campeões!

Precisamos do torcedor!

O Atlético lutará com toda sua raça para vencer mais esse obstáculo.