Capitão, Daniel Alves rebate críticas por seleção não usar agasalho do Time Brasil em pódio

Em postagem nas redes sociais, jogador pediu respeito ao futebol e disse que jogadores não concordam com ‘algumas imposições’

  • Por Jovem Pan
  • 08/08/2021 19h00
Reprodução/ Instagram @danialvesDaniel Alves foi o capitão da seleção olímpica em Tóquio 2020

A discussão sobre o não uso do agasalho do Time Brasil pelos jogadores da seleção brasileira masculina de futebol no pódio, parece que vai render bastante. Depois de o Comitê Olímpico Brasileiro anunciar que irá tomar medidas jurídicas contra a CBF e os atletas, e o nadador Bruno Fratus ter indicado que os jogadores são ‘egoístas’, o capitão da seleção, Daniel Alves, utilizou suas redes sociais para rebater as críticas. Segundo ele, a equipe respeita os outros esportes olímpicos, mas não concorda com ‘algumas imposições’. Daniel ainda pediu respeito ao futebol e defendeu a criação de uma ‘base sólida’ para defender solicitações. “Eu como capitão dessa equipe respeito todas as opiniões de atletas de outros esportes, porém tem coisas que nós também não aceitamos dentro do esporte”, escreveu em sua conta no Instagram.

“Não queremos ser diferente de ninguém, mas não aceitamos algumas imposições. Favor quando forem exigir alguma coisa pro seus esportes, respeitar o nosso … ate mesmo porque prezamos para que haja uma igualdade dentro das modalidades ou pelo menos um equilíbrio. Não se faz reivindicações criticando outros esportes, devemos criar uma base sólida nas nossas teses para defender as nossas solicitações”, completou. No pódio para receber a medalha de ouro, a seleção optou por utilizar a camisa de jogo que tem patrocínio da Nike deixando apenas na cintura o agasalho do COB que tem patrocínio da Peak e que é obrigatório nos pódios. A seleção masculina de futebol do Brasil foi a única de todos os pódios de Tóquio 2020 a não utilizar o uniforme de comitês olímpicos nacionais.