Presidente do Corinthians respalda Sylvinho e abre o jogo sobre Dentinho e Paulinho 

À reportagem da Jovem Pan, o mandatário do Alvinegro paulista elogiou o treinador, criticado por parte da torcida, mesmo com a sexta colocação no Campeonato Brasileiro

  • Por Jovem Pan
  • 09/11/2021 15h39 - Atualizado em 09/11/2021 15h42
Jovem Pan Duílio Monteiro Alves concedeu entrevista à Jovem Pan Duílio Monteiro Alves concedeu entrevista à Jovem Pan

Duílio Monteiro Alves, presidente do Corinthians, esteve na sede da Federação Paulista de Futebol (FPF), na tarde desta terça-feira, para acompanhar o sorteio da fase de grupos do Paulista de 2022. À reportagem da Jovem Pan, o mandatário do Alvinegro paulista deu respaldo ao treinador Sylvinho, criticado por parte da torcida, mesmo com a sexta colocação no Campeonato Brasileiro. “Entendo que ele faz um bom trabalho. A questão de ser questionado, infelizmente, funciona dessa forma. Se o time fica dez jogos invictos e perde um, já existe a cobrança para trocar de técnico. A gente, claro, tem que acompanhar o dia a dia e saber se o trabalho está sendo bem feito. Para muitos, o Corinthians brigaria para não cair. Hoje, estamos brigando por uma quarta posição. Estamos satisfeito com o trabalho do Sylvinho”, afirmou o dirigente.

O presidente também foi perguntado sobre a possibilidade do Corinthians se reforçar com Dentinho e Paulinho, dois jogadores identificados com o clube e que estão livres no mercado da bola – o primeiro, inclusive, rescindiu com o Shakhtar Donetsk na última segunda-feira. “Com o Dentinho, não existe absolutamente nada. É um amigo, um cara que surgiu da base na minha primeira passagem, um ídolo da torcida. Ainda assim, é um jogador que ocupa uma posição que não é carente na equipe. Não existe negociação”, assegurou Duílio, antes de falar sobre o meio-campista. “O Paulinho é uma vontade nossa, mas isso depende de outros fatores. Se existir a possibilidade, ele tem muito a agregar. Dentinho, não”, concluiu.

Ainda falando de planejamento, Duílio admitiu que alguns jogadores devem deixar o elenco ao término da temporada para reduzir a folha salarial. “A ideia é que a gente tenha redução de despesa e folha salarial, como nesse ano. Não existe a previsão de chegada de muitos atletas, quem deveria chegar já chegou. Lógico que uma, duas peças a gente busca sempre qualificar. Ainda assim, a ideia é que este time esteja pronto para jogar no ano que vem. Investimos neste ano para que, em 2022, o time venha forte”, arrematou o dirigente corintiano.