Dedé rebate acusação de ter derrubado Rogério Ceni e revela que treinador lhe deu as costas

  • Por Jovem Pan
  • 27/09/2019 16h05
Divulgação/Cruzeiro

Dedé fez um pronunciamento na tarde desta sexta-feira (27), na Toca da Raposa, para dar sua versão dos fatos sobre as acusações que envolvem seu nome sobre uma possível influência na demissão de Rogério Ceni. Se especulou que o zagueiro teria pedido a palavra nos vestiários do Castelão, após o empate em 0 a 0 com o Ceará, na última quarta-feira (25), e cobrado o treinador para dar mais espaço a Thiago Neves.

Esse momento teria sido de fundamental importância para a demissão de Rogério Ceni. A diretoria teria entendido que o treinador não tinha mais influência no grupo e visto como melhor opção sua saída. Segundo Dedé, ele não cobrou Rogério, e sim Thiago Neves.

“Cheguei no Rogério e em momento algum eu critiquei, simplesmente pedi para o Rogério que o nosso grupo precisaria de todos no elenco. E aquele momento ali eu falei que o Thiago Neves, o Sassá e o Edílson, que são jogadores importantes para gente, que não deixasse o jogador de lado porque são decisivos e tiveram parte decisiva na historia do clube”, começou.

“Os quatro não precisariam ser amigos, mas que em prol do Cruzeiro fossem profissionais e respeitassem o pedido de um treinador para jogador. Do mesmo jeito que eu peguei, e falei para o Rogério, falei para o Thiago que ‘a gente precisava de um maior profissionalismo seu e que você se dedique mais pra gente, você não precisa ser amigo do Rogério’. E nisso que eu tava falando pro Thiago, o Rogério saiu. E cara, mesmo que tenha virado as costas pra mim, não tenho nada contra o Rogério, mas foi o que de fato aconteceu. Eu fiz pensando 100% no cruzeiro. A gente precisa de todo mundo”, relatou Dedé.

O zagueiro ainda reafirmou que a cobrança foi feita em cima de Thiago Neves e que de fato Rogério o deixou falando sozinho, o que teria chateado o elenco da Raposa.

“Não pedi pra ele colocar o Thiago, não cobrei que ele colocasse o Thiago. Eu cobrei o Thiago profissionalismo, e ele sabe disso. Cobrei na frente do grupo e cobro nos bastidores. E o Thiago balançando a cabeça em concordância. Foi o momento que o Rogério saiu. Foi ali no momento que eu acho que ele poderia ter me dado uma resposta”, concluiu.