Ele é o próximo? Confira ex-companheiros de Zé Roberto que hoje são treinadores

  • Por Jovem Pan
  • 27/11/2017 14h00 - Atualizado em 27/11/2017 14h02
Zé Roberto fará sua última partida no Allianz Parque nesta segunda-feira (27)

Zé Roberto fará sua última partida no Allianz Parque, casa do Palmeiras, nesta segunda-feira (27). Em seus dois anos pelo clube alviverde, ele gritou que “o Palmeiras é grande”, fez defesa de barriga e conquistou uma Copa do Brasil e um Brasileirão, cuja taça foi erguida há exatamente um ano.

Porém, a carreira do lateral de 43 anos é muito mais extensa que as últimas duas temporadas no Palestra. Ao todo, são 23 anos ininterruptos dedicados ao futebol, desde a estreia pela Portuguesa. No caminho, Zé Roberto colecionou conquistas estaduais, um tetracampeonato alemão e duas Copas das Confederações com a Seleção Brasileira.

A carreira é tão extensa que ele já viu colegas de antigamente virarem treinadores – e até jogou contra. É o caso de Dunga, que comandava o Inter quando Zé ainda estava no Grêmio, e de Rogério Ceni, que esteve com ele na Copa do Mundo de 2006.

A Jovem Pan listou nomes que atuaram ao lado de Zé Roberto, aposentaram antes do lateral e já atuam como técnicos. Será que este será o futuro do lateral após pendurar as chuteiras?

Alexandre Gallo

Gallo atuou ao lado de Zé Roberto na Portuguesa vice-campeã do Campeonato Brasileiro de 1996. Foi ele quem abriu o placar na decisão em cima do Grêmio, que acabou ficando com o título. Gallo encerrou sua carreira como jogador em 2001, após passagem pelo Corinthians. Enquanto isso, Zé vivia seu auge no Bayer Leverkusen, onde chegou à final da Liga dos Campeões.

Alexandre Gallo, que ficou marcado pelo seu trabalho com a base da Seleção Brasileira, foi treinador do Vitória em 2017 e perdeu para o Palmeiras por 4 a 2.

Rafael Ribeiro/CBF/Divulgação

Seedorf

O craque holandês foi companheiro de Zé Roberto durante a rápida passagem do brasileiro pelo Real Madrid, em 1997. Eles chegaram a se enfrentar algumas vezes na Liga dos Campeões – Zé pelo Bayern e Seedorf pelo Milan – e pelo Brasileirão. Zé Roberto deu o passe para o gol que deu a vitória ao Grêmio na estreia do holandês pelo Botafogo. Seedorf trabalhou alguns meses como técnico do Milan e do Shenzhen FC, da China.

EFE

Elano

O mais recente a assumir um time, Elano não teve tempo para enfrentar Zé Roberto como treinador do Santos. Como jogador, levou a melhor sobre o ex-companheiro na semifinal do Paulistão de 2016, mas perdeu o Brasileiro daquele mesmo ano. Eles atuaram juntos no Grêmio entre 2012 e 2014, e se revezavam no meio-campo.

Dunga

Companheiros na Seleção Brasileira na Copa de 1998, Dunga, atualmente sem clube, enfrentou Zé Roberto durante sua passagem como treinador do Inter. Foram dois “Grenais” em 2013, quando Zé estava no Tricolor Gaúcho, ambos empatados.

Rafael Ribeiro/CBF/Divulgação

Rogério Ceni

Outro companheiro de Seleção Brasileira que também virou técnico esse ano foi Rogério Ceni. Nas duas vezes em que enfrentou o Palmeiras durante sua curta passagem pelo comando do São Paulo, Zé Roberto não esteve em campo. Foi uma vitória para o Alviverde no Paulistão (3 a 0) e uma para o Tricolor no Brasileirão (2 a 0). Desde sua aposentadoria, Ceni já estudou no exterior, comandou o São Paulo e assumiu o comando do Fortaleza para a disputa da Série B de 2018. Será que Zé seguirá o mesmo caminho ou finalmente descansará do futebol?

Futebol Fortaleza Rogério Ceni