Flavio Prado defende o VAR e critica árbitro em Vasco x Inter: ‘Passou recibo de culpa’

De acordo com o especialista do Grupo Jovem Pan, o árbitro Flávio Rodrigues de Souza quis compensar um possível equívoco cometido pela tecnologia

  • Por Jovem Pan
  • 15/02/2021 15h22
Montagem sobre fotos/Reprodução/CELSO PUPO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO/FERNANDO SALLES/W9 PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOFlavio Prado defendeu o VAR em Vasco x Internacional

O problema no VAR (Árbitro de Vídeo) na partida entre Vasco e Internacional, em São Januário, na tarde do último domingo, 14, agitou a rodada do Campeonato Brasileiro. O Cruz-Maltino, logo após a partida, reivindicou a anulação do confronto depois da falha no aparelho no primeiro gol Colorado, que definiu o confronto nos acréscimos. Ao longo do programa “Esporte em Discussão”, no entanto, o comentarista Flavio Prado tratou o incidente como algo normal, e chamou atenção para outro lance: o pênalti marcado em Germán Cano, atacante do time carioca. De acordo com o especialista do Grupo Jovem Pan, o árbitro Flávio Rodrigues de Souza quis compensar um possível equívoco cometido pela tecnologia.

“A falha acontece com máquinas, robôs, internet… Pedir anulação já é jogar para a galera. A falha acontece! A CBF já se manifestou dizendo que vai tirar informações com a empresa. O que me assustou foi a arbitragem compensar com aquele pênalti! Aquilo foi uma vergonha. Ele passou um recibo de dúvida ou de medo. Foi uma coisa vergonhosa. Acho que o Cano ficou sem graça de fazer o gol e chutou o chão. O pênalti me incomodou mesmo. O árbitro quase passou um recibo de culpa ali. Ele criou aquele pênalti! A pior coisa é querer compensar. Não pode justificar a falha do VAR dando aquele pênalti”, disse o jornalista durante o programa do Grupo Jovem Pan.

O Vasco, logo depois da derrota para o Internacional, tratou a falha no VAR no tento marcado por Rodrigo Dourado como algo inadmissível, pedindo a anulação do jogo. “O que presenciamos hoje em São Januário foi mais uma repetição do ultraje que tem sido a atuação da arbitragem da CBF em nossas partidas. Pediram para retirarem uma câmera da Vasco TV, ‘descalibraram’ a linha e ironizaram nosso treinador dizendo que avaliariam as imagens ‘de casa’. Já são 18 apitos contra o Vasco, em uma disparidade desrespeitosa em relação a qualquer outro time da competição. Estou acionando a CBF por telefone hoje para uma reunião esclarecedora. Vamos requerer na justiça desportiva a anulação desse jogo”, declarou o presidente Jorge Salgado.

Pouco tempo depois da nota do Vasco, a CBF lançou um breve comunicado. A entidade disse que vai manter a decisão do juiz de campo no polêmico lance. E reiterou que o VAR fez a checagem da jogada, descartando o impedimento de Rodrigo Dourado. Na jogada, ele escorou de cabeça para as redes, após cobrança de falta na área. O gol demorou quatro minutos para ser validado por análise da posição do volante. O VAR deu problema com “linhas descalibradas” e a decisão do campo acabou valendo. No comunicado, a CBF confirmou esta decisão.