Barcelona anuncia que não desistirá da Superliga: ‘Renunciar seria um erro histórico’

Clube catalão afirmou que é a favor do torneio que faz oposição à Liga dos Campeões da Europa, organizado pela Uefa, por considerar que a competição ‘tem como premissa a melhoria da qualidade’

  • Por Jovem Pan
  • 22/04/2021 14h11 - Atualizado em 22/04/2021 16h22
Reprodução/Barcelona Jogadores do Barcelona comemoram gol em goleada diante do Alavés

O Barcelona emitiu um comunicado na tarde desta quinta-feira, 22, informando que não deixará o bloco de fundadores da Superliga Europeia, como fizeram os seis grandes da Inglaterra, além do Atlético de Madrid e a Internazionale. Em nota, o clube catalão afirmou que é a favor do torneio que faz oposição à Liga dos Campeões da Europa, organizado pela Uefa, por considerar que a competição “tem como premissa a melhoria da qualidade” e “atratividade do espetáculo que se oferece aos amantes do futebol”. A diretoria do Barça ainda afirmou que abandonar o projeto seria um “erro histórico”.

“O FC Barcelona compartilha a análise efetuada pela maioria dos grandes clubes de futebol europeus no sentido de que, ainda mais na atual conjuntura socioeconômica, é necessário empreender reformas estruturais destinadas a garantir a sustentabilidade e viabilidade financeira do mundo do futebol, potencializando o espetáculo que se oferece aos torcedores de todo o mundo e consolidando e até aumentando a base social em que se sustenta este esporte”, diz o comunicado. “Neste contexto, o Conselho de Administração do FC Barcelona aceitou, com urgência, fazer parte, como clube fundador, da Superliga, competição que tem como premissa a melhoria da qualidade e atratividade do espetáculo que se oferece aos amantes do futebol e, ao mesmo tempo, e como princípio inalienável do FC Barcelona, ​​a procurar novas fórmulas de solidariedade com toda a família do futebol”, continua.

O torneio, anunciado por 12 dos clubes mais ricos do mundo no último domingo, perdeu a força e a chance de sair do papel após a desistência de oito integrantes. Ainda assim, Florentino Pérez, presidente do Real Madrid e líder do movimento, disse que o campeonato ainda pode ser realizado. O Barcelona tem a mesma ideia. “A decisão foi tomada com a convicção de que uma suposta renúncia para fazer parte dessa iniciativa como clube fundador teria sido um erro histórico. Como clube desportivo de classe mundial, defendemos a vocação de liderança do clube, parte integrante da identidade e do espírito desportivo, social e institucional da Entidade”, acrescenta a agremiação blaugrana.

Já quanto às reações negativas de boa parte da comunidade do futebol, o Barça alega que é preciso discutir o campeonato com mais tranquilidade. “Verificada a reação social que a citada iniciativa produziu em numerosos e diversos campos, é inegável que o FC Barcelona entende que se deve abrir uma análise muito mais aprofundada sobre as razões que geraram esta reação para reconsiderar, adequada e, se necessário, a abordagem e a fórmula inicialmente propostas para abordar e resolver todas essas questões, sempre no interesse do mundo do futebol em geral. Este exercício de análise aprofundada requer tempo e a compostura necessária para evitar qualquer ação precipitada”, complementa o Barça.