Acidente, camisa do rival e festas na pandemia: Arboleda acumula polêmicas no São Paulo

Contratado na metade de 2017 junto ao Universidad Católica (EQU), o zagueiro destaca-se pelo bom posicionamento, impulsão e velocidade de recuperação, mas também pelos problemas extracampo

  • Por Jovem Pan
  • 28/05/2021 12h26 - Atualizado em 28/05/2021 15h16
Rubens Chiri / SPFCArboleda treinando durante atividade no São Paulo

Robert Arboleda é um dos jogadores do atual elenco do São Paulo com mais tempo de clube. Contratado na metade de 2017 junto ao Universidad Católica (EQU), o zagueiro destaca-se pelo bom posicionamento, impulsão e velocidade de recuperação. No título do Campeonato Paulista de 2021, o equatoriano se consagrou como um dos melhores defensores da competição, que tirou o Tricolor de uma fila de oito anos sem conquistas. O defensor, no entanto, também já protagonizou várias polêmicas desde que chegou ao Morumbi. A última delas aconteceu nesta sexta-feira, 28, quando foi flagrado ao lado de David Neres, do Ajax (HOL), em uma balada clandestina na zona leste da capital paulista, no momento em que os casos da Covid-19 voltaram a subir no Estado. Abaixo, a Jovem Pan relembra outros casos polêmicos do atleta.

Acidente de automóvel

A Land Rover de Robert Arboleda, do São Paulo, ficou destruída após o acidente, acontecido em 2018

Completando um ano no São Paulo, o zagueiro Robert Arboleda envolveu-se em um acidente de carro na madrugada do dia 30 de julho de 2018, na rua Atílio Inocenti, no Itaim Bibi, zona oeste da capital. Segundo testemunhas, o veículo de luxo estava em alta velocidade em uma via com limite de velocidade de 40km/h. A dianteira do carro ficou bastante danificada após bater em uma árvore. Junto do jogador estavam mais quatro pessoas. Duas mulheres, que ficaram levemente feridas, e outros dois homens. De acordo com a PM, o motorista era Kauê Sabino, que se recusou fazer o teste do bafômetro e apareceu na delegacia horas depois do acidente. No Instituto Médico Legal (IML), ele também não quis fazer exame para comprovar a dosagem alcoólica.

Foto com camisa do Palmeiras

Arboleda, do São Paulo, vestiu a camisa do Palmeiras durante as férias no Equador

Arboleda voltou a ser destaque negativo em dezembro de 2019, quando estava passando férias no Equador, sua terra natal. Na época, o zagueiro posou para uma foto vestindo uma camisa do Palmeiras ao lado de seu amigo, o também jogador Billy Arce, atualmente no Brighton, da Inglaterra. O atleta alegou que utilizou a peça após ter perdido a aposta para o companheiro e pediu desculpas à torcida são-paulina. “Gostaria de me desculpar publicamente com os torcedores do São Paulo, membros da comissão técnica, jogadores, diretoria e todos que se sentiram ofendidos ao me ver vestido com a camisa de outro clube”, escreveu em suas redes sociais. “Errei ao apostar com alguns amigos que vestiria a camisa que eles escolhessem caso fosse derrotado no futebol disputado em minhas férias. Me arrependo profundamente disso”, prosseguiu.

Dança enquanto estava machucado

Robert Arboleda foi filmado dançando em uma confraternização no último domingo, 30, após desfalcar o São Paulo contra o Corinthians

Em agosto de 2020, o equatoriano revoltou torcedores do São Paulo ao ser filmado dançando após ter desfalcado o time tricolor no clássico contra o Corinthians. As imagens, compartilhadas por uma amiga do jogador depois do jogo, mostram o equatoriano se remexendo enquanto segura uma garrafa. O detalhe, no entanto, é que, oficialmente, ele não disputou o Majestoso porque, segundo o clube, sentia um “desconforto muscular”. O defensor, no dia seguinte, treinou separado dos demais jogadores no CCT da Barra Funda, mas não foi punido.

1ª festa na pandemia

Dois meses depois, Arboleda não deu exemplo à sociedade ao comparecer ao show do Mc Guga, em um baile funk no Campo Belo, na Zona Sul da capital paulista, durante a pandemia da Covid-19. A visita do jogador ao evento foi flagrada pelo próprio cantor, que registrou o encontro com o atleta são-paulino em seu Stories no Instagram. A diretoria do Tricolor, na época comandada pelo presidente Leco, puniu o zagueiro. O defensor, pouco tempo depois, recuperou sua vaga de titular no então time treinado por Fernando Diniz.