Felipe Melo, Flávio Bolsonaro, Carol Gattaz e outros: Veja como repercutiu a demissão de Maurício Souza

Personalidades do vôlei como Renan Dal Zotto, técnico da seleção brasileira, lamentaram as declarações preconceituosas do jogador; Flávio Bolsonaro, Sikera Jr. e Fred mandaram mensagens de apoio

  • Por Jovem Pan
  • 27/10/2021 22h47 - Atualizado em 28/10/2021 02h36
Reprodução/Instagram/mauriciosouza17Atleta de vôlei foi demitido de time após comentários homofóbicos nas redes sociais

O caso Maurício Souza tem movimentado a pauta de esportes. Desde a última segunda-feira, dia 25, esportistas e políticos saíram em defesa do central ou repudiaram suas publicações nas redes sociais. Em sua página oficial do Instagram, Maurício criticou a DC Comics por retratar o novo Super-Homem como bissexual, criticou a TV Globo por introduzir linguagem neutra em novela e fez comentários irônicos sobre atletas transexuais. As diversas postagens chamaram atenção do público e do Minas Tênis Clube, time que Maurício defendia e foi demitido nesta quarta-feira. Atleta do vôlei feminino, Carol Gattaz fez questão de ressaltar em suas redes que discorda do colega de profissão. “Homofobia é crime. Racismo é crime. Respeito é obrigatório. Já toleramos desrespeito, gracinhas e preconceitos disfarçados de opinião por muito tempo. Chega”, escreveu Gattaz, que teve sua publicação replicada pelas também jogadoras Thaisa, Sheilla e Gabriela.

Douglas Souza, que protagonizou bate-boca com Maurício nas redes por conta do quadrinho da DC, utilizou o Twitter para comemorar a decisão do Minas Tênis. “Homofobia não é opinião. Grande dia”, disse. O técnico da seleção brasileira, Renan Dal Zotto, também se manifestou sobre o caso. “É inadmissível este tipo de conduta do Maurício e eu sou radicalmente contra qualquer tipo de preconceito, homofobia, racismo. Em se tratando de seleção brasileira, não tem espaço para profissionais homofóbicos”, disse em entrevista ao jornal O Globo. Por outro lado, o atleta também recebeu muito apoio em suas redes sociais, de personalidades famosas e políticos de direita.

Em publicação no Instagram anunciando sua saída do Minas, Maurício recebeu mensagens de apoio. O secretário de cultura do governo Bolsonaro, Mario Frias, aplaudiu o texto do atleta, que diz “continuar seguindo o que acredito”. O jogador de basquete, Nenê Hilário também comentou: “Irmão, nunca deixe que ninguém remova nossos valores. Estamos juntos e, se Deus é por nós, quem será contra nós?”. O volante palmeirense Felipe Melo também deixou seu apoio. “Você é um homem de valor, conte sempre comigo”, escreveu. Entre os políticos, o deputado estadual de Minas Gerais Coronel Sandro (PSL) disse que considera Maurício um herói.

Flávio Bolsonaro pediu para que os seguidores não comprem produtos da Fiat e Gerdau, patrocinadores do Minas Tênis e que fizeram pressão por uma atitude a respeito do atleta. Nikolas Ferreira, vereaddor de Belo Horizonte, também opinou a favor do jogador de vôlei: “O time perde, e muito. Siga firme”. O pastor e cantor gospel Felippe Valadão comentou que “o povo chegou ao limite” pelas censuras impostas por “alguns lados”. O apresentador Sikera Jr. também deixou seu comentário, assim como o atacante Fred, do Fluminense. Após um comentário de Casagrande sobre o assunto, o meia Souza, do Besiktas, também saiu em defesa de Maurício.