Tite evita comparações com Mano e garante: “vou colocar minha cara de novo para bater”

  • Por Jovem Pan
  • 16/12/2014 14h18

Tite volta ao Corinthians depois de um ano e sonha com títulos

Tite volta ao Corinthians depois de um ano e sonha com títulos

Há dois anos, o Corinthians comemorava seu segundo título mundial. No Japão, com uma faixa escrito “The favela is here”, Tite festejava a conquista. Nesta terça-feira, 12 de dezembro de 2014, Adenor Leonardo Bachi retorna ao clube, com contrato de três anos e novos desafios.

O treinador, que volta para sua terceira passagem pelo Alvinegro, falou sobre a expectativa de repetir as conquistas e a pressão poderá sofrer: “A gente carrega a sombra daquilo que construiu a vida toda. Não sei se vou ter o mesmo êxito, mas vou ter a mesma conduta, até mais maduro, sem cometer os mesmos erros que cometi. Quero ser menos incompleto a cada dia que passa”.

Sem títulos em 2014, Mano Menezes foi bastante cobrado, e por isso, não teve o contrato renovado. Mas Tite preferiu não fazer comparações com seu substituto (em 2014) e agora antecessor. “Todos os profissionais passam por etapas. Não é legal comparar. O Mano teve sua etapa. Agora vamos seguir em frente e colocar o Corinthians acima de qualquer coisa. As negociações começaram após o fim do Brasileiro, houve interesse assim que decidiram que o Mano não ficaria”.

Com a responsabilidade de encarar a pré-Libertadores, Tite fala sobre a movimentação e a construção da equipe: “Intensidade é pau dentro. Todos têm vontade de ganhar, mas a diferença está na vontade de se preparar. Vamos nos preparar. Dos sete semestres que passei aqui sempre teve reformulação. Foi assim ano passado. É natural essa troca, oxigenação, para que a equipe cresça. Isso não depende do técnico”.

O diretor de futebol Ronaldo Ximenes, que participou da apresentação do treinador, falou sobre o contrato de três anos, e desejou toda a sorte, força e energia a Tite. “É um projeto do clube. De 2008 até hoje, e se tudo der certo até 2017, neste período de dez anos o Corinthians terá três técnicos. Esse modelo é para elaborar o projeto a longo prazo. Não é algo imediatista com resposta em seis meses. Sabemos que isso não dá certo no futebol. Por isso o Corinthians se tornou vitorioso”.