Acusações de ideologia e favoritismo dominam debate de líderes sobre plano diretor

  • Por Jovem Pan
  • 02/06/2015 09h15
Líder do PSDB

Sob polêmica, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, entrega nesta terça-feira (02) à Câmara de São Paulo o projeto da nova lei de zoneamento. O documento estipula o que pode ser construído em cada via e tem sido aguardado com ansiedade por associações de moradores, que afirmam que a legislação poderá alterar o perfil de bairros já consolidados como exclusivamente residenciais.

Em debate realizado pelo Jornal da Manhã da Jovem Pan nesta terça, o líder do PSDB na Câmara, Andrea Matarazzo, afirma que Haddad apresenta o projeto por não conhecer a cidade. “Temos visto o prefeito em uma verdadeira guerra contra zonas residenciais, mas ele transformou uma questão urbanística em ideológica”, e completa, “o prefeito por se recusar a andar pela cidade tem feito uma trapalhada atrás da outra”. Para o vereador, essas áreas estritamente residenciais “são modelos de boa urbanização que deviam ser copiadas, não destruídas pelo plano diretor”.

Já líder do governo na Câmara Municipal, o petista Arselino Tatto, diz que a preocupação é com bairros menos abastados, como Capão Redondo, Parelheiros, Grajaú e Guaianases. “O plano diretor foi votado na câmara com uma maioria enorme. O que estamos discutindo agora são os planos regionais”, e acrescenta que o projeto tem como objetivo ordenar o crescimento da cidade de São Paulo.

Ouça debate completo no áudio acima.