Anvisa orienta laboratórios para detecção de nova cepa da Covid-19

Segundo nota técnica, a variante apresenta 14 mutações, uma delas relacionada ao gene S do vírus, o  que pode comprometer diagnósticos que utilizam exclusivamente esse alvo para identificar a doença

  • Por Jovem Pan
  • 01/01/2021 22h47 - Atualizado em 01/01/2021 22h51
Governo do Estado de São PauloA orientação aos laboratórios é que estejam atentos às informações das instruções de uso dos testes e adotem medidas que favoreçam o diagnóstico

O impacto da variante do coronavírus identificada no Reino Unido nos processos de detecção da Covid-19 foi tema de nota técnica emitida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, nesta sexta-feira, 1º de janeiro. O objetivo do documento é orientar os laboratórios sobre os diagnósticos da nova cepa da doença. Segundo o relatório, a variante apresenta 14 mutações, uma delas relacionada ao gene S do vírus, o  que pode comprometer diagnósticos que utilizam exclusivamente esse gene para identificar a doença. Porém, segundo a nota, a maioria dos ensaios moleculares do tipo PCR regularizados no Brasil utilizam mais de um alvo para detectar o novo coronavírus. A nota esclarece, ainda, que, no país, existem diversos produtos regularizados, seguros e eficazes para fins de diagnóstico da Covid-19, mesmo para esta variante. A orientação aos laboratórios é que estejam atentos às informações das instruções de uso dos testes e adotem medidas que favoreçam o diagnóstico, como a utilização de produtos voltados a diferentes alvos virais.

De acordo com a Anvisa, a primeira mutação foi identificada na Inglaterra, em 20 de setembro de 2020, e foi seguida por um rápido aumento da mesma variante nos meses seguintes. Embora haja estudos que indiquem que a cepa é mais transmissível que os vírus já em circulação, ainda não é possível afirmar sobre o impacto na gravidade da doença e nem possíveis alterações na resposta imunológica ou eficácia da vacina. Para consultar informações a respeito de produtos para diagnóstico para detecção da Covid-19, a agência disponibiliza um painel para consulta. A plataforma, disponível no portal da agência, reúne dados, como a quantidade de pedidos deferidos, indeferidos, em análise, aguardando o certificado de Boas Práticas de Fabricação, como também informações específicas sobre os produtos.