Bolsonaro ficará cinco dias em isolamento por ter tido contato com Queiroga

Secretário do Ministério da Saúde detalhou protocolo para o presidente e o resto da comitiva que esteve em Nova York com o ministro, infectado pela Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 22/09/2021 18h01 - Atualizado em 22/09/2021 18h15
EFE/EPA/EDUARDO MUNOZ / POOLBolsonaro foi a Nova York para discursar na abertura da Assembleia-Geral das Nações Unidas

O secretário de comunicação da Presidência, André Costa, detalhou quais são as diretrizes para a comitiva presidencial brasileira que retornou de Nova York após o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, testar positivo para a Covid-19. Os membros da delegação que tiveram contato com Queiroga, incluindo o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), ficarão em isolamento por cinco dias, contados a partir do último encontro com ele (que teria acontecido nesta terça, 21). Depois disso, passarão por mais um teste RT-PCR e, caso o resultado seja negativo, serão liberados do isolamento, mas ainda sob acompanhamento até o 14º dia; caso nenhum sintoma apareça, será descartada a possibilidade de infecção pelo coronavírus. Queiroga permanece nos Estados Unidos até cumprir a quarentena obrigatória.

Anteriormente, a Anvisa havia recomendado uma quarentena de 14 dias para os integrantes da comitiva, mas o secretário afirmou que os cinco dias estão de acordo com o Guia de Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde. Cerca de 50 pessoas têm que seguir as diretrizes, incluindo o “escalão avançado”, nas palavras de Costa, por precaução. Bolsonaro, por exemplo, participará de reuniões de forma virtual. Ele cancelou uma viagem que faria ao Paraná nesta semana. O secretário descartou preocupações com líderes de outros países com quem membros da comitiva brasileira se reuniram durante a Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas, pois eles já têm os próprios procedimentos para garantirem que estão seguros.