Brasil ultrapassa marca de 8 milhões de casos de Covid-19

Primeiro caso foi registrado no dia 26 de fevereiro de 2020; nas últimas 24 horas, foram registrados 52.035 novos casos e 962 novas mortes causadas pela doença

  • Por Jovem Pan
  • 08/01/2021 17h55 - Atualizado em 08/01/2021 18h40
SANDRO PEREIRA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOPaís vive momento de aumento no número de casos e mortes causadas pela doença

Em meio a uma tendência de alta em diversos estados, o Brasil ultrapassou a marca de 8 milhões de casos de Covid-19. A marca foi atingida nesta sexta-feira, 8 – 317 dias depois que o primeiro caso foi registrado, em 26 de fevereiro de 2020.  A informação foi divulgada pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) por meio de um boletim publicado às 18h desta sexta. Na noite de quinta, o país superou a marca de 200 mil mortes causadas pela doença. Nas últimas 24 horas foram registrados 52.035  novos casos e 962 novas mortes. No momento, o total de casos é de 8.013.708 enquanto que o número de vítimas fatais é de 201.460. O boletim não conta com os números dos estados do Paraná e do Amazonas. Segundo os dados, a taxa de letalidade da Covid-19 no Brasil é de 2,5% e segue estável. Por outro lado, as taxas de mortalidade e de incidência da doença a cada 100 mil habitantes seguem aumentando, e atingiram, respectivamente, as seguintes marcas: 95,9 e 3.813,4. A expectativa é que o país viva semanas de alta por conta de aglomerações geradas nas festas de fim de ano.

Avanço da doença no Brasil

O paciente “número um” foi um homem de 61 anos que tinha visitado a Itália e foi internado no Hospital Albert Einstein. Naquele momento, uma série de casos suspeitos eram investigados no país. A maioria deles teria sido importada da Europa. O primeiro caso de transmissão interna no Brasil foi registrado no dia 5 de março e a Covid-19 foi considerada como uma pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no dia 11 do mesmo mês, pouco antes da instalação de critérios de isolamento no país, em 13 de março. A partir de 13 de março, os estados determinaram de forma individual as regras de funcionamento de comércios e outros serviços essenciais.

A primeira morte no Brasil foi registrada no dia 17 de março. A vítima era um homem de 62 anos com histórico de hipertensão e diabetes, pertencente ao grupo de risco da doença. No dia 1º de abril, todos os estados do Brasil tinham registro de casos do novo coronavírus. A partir do dia 2, o protocolo inicial, que pedia que só aqueles que tivessem sintomas da doença usassem máscara, muda e o uso da proteção é sugerido a todos que saiam na rua. Na cidade de São Paulo, o uso da máscara se tornou obrigatório no dia 7 de maio. O Brasil ultrapassou a marca dos mil mortos no dia 10 de abril. Em 20 de junho, o país tinha mais de 50 mil mortes. No dia 8 de agosto, mais de 100 mil brasileiros tinham morrido e no dia 10 de outubro o Brasil tinha atingido a marca de 150 mil óbitos. Mesmo batendo as 200 mil mortes, o Brasil continua no segundo lugar entre os países com mais óbitos, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, que tem mais de 350 mil mortes e mais de 20 milhões de pessoas infectadas.