Canal oficial do SUS transmite missa natalina e padre lembra de vítimas da pandemia

Transmissão oficial foi realizada por meio do canal do Datasus na tarde desta segunda-feira; leituras ecumênicas foram feitas por funcionários do ministério da Saúde

  • Por Jovem Pan
  • 14/12/2020 21h03
Datasus/YouTubeMissa foi transmitida ao vivo no youtube

A página do Datasus no YouTube, canal usado para transmissão de informações sobre dados do novo coronavírus no Brasil desde o início da pandemia, transmitiu nesta segunda-feira, 14, uma missa de Natal pelo enfrentamento da pandemia e por todas as vítimas da Covid-19. De máscara e crachás, uma série de servidores fez leituras ecumênicas enquanto no chat do vídeo, uma série de pedidos de intervenção na saúde do povo brasileiro foi feito por internautas. “Eu sei que do ponto de vista técnico é sempre uma complicação, né, uma pandemia, mas ao mesmo tempo é importante que a humanidade inteira entenda o sentido da vida. A vida não se reduz a essa vida biológica. Seja com saúde, com doença, com pandemia ou sem pandemia, todos nós passaremos por essa vida”, afirmou o padre responsável pela pregação. Com um relato em primeira pessoa, o pontífice narra o momento em que foi contaminado pelo novo coronavírus e elogia o trabalho do Sistema Único de Saúde.

“Fui muito bem tratado na rede pública, com todo o carinho dos médicos, dos enfermeiros, daquelas pessoas que colocam a vida a serviço dos outros, então nosso muito obrigado a todos aqueles que estão trabalhando na ponta e aqueles que estão aqui no cérebro da saúde pública, na gestão”, encerrou o padre, pedindo que Deus cuidasse de todos, inclusive do ministro Eduardo Pazuello e do presidente Jair Bolsonaro. A Jovem Pan entrou em contato com o Ministério da Saúde em busca de mais informações sobre a celebração. Em resposta, a pasta informou que a missa natalina é um evento anual que integra o calendário de ações internas da pasta. “Nesta edição, por causa da pandemia, houve transmissão via Youtube para evitar aglomeração e também para que todos os servidores – inclusive aqueles lotados em outros estados – pudessem acompanhar”.