Confira o que abre e fecha na fase emergencial de São Paulo

Fase emergencial do Plano SP contra a Covid-19 será aplicada entre os dias 15 e 30 de março no estado; escolas, templos e serviço de take-out serão afetados

  • Por Jovem Pan
  • 11/03/2021 15h00
REUTERS/Carla CarnielRestrição a serviços deve ficar ainda maior durante a fase emergencial

Com o crescimento de casos de Covid-19 e lotação em leitos de UTI do Estado de São Paulo, o governo anunciou nesta quinta-feira, 11, mais uma alteração no Plano SP contra o coronavírus. A partir da próxima segunda-feira, 15, todo o Estado entra em fase emergencial, que deve se estender até o dia 30 de março com toque de recolher entre as 20h e as 5h, suspensão de atividades esportivas, escolas e cultos. As atividades de comércio, bares, restaurantes e serviços, que já eram restritas, ficarão ainda mais controladas durante este período. Confira como os serviços devem funcionar:

Educação

As escolas estaduais não receberão mais alunos para atividades de aula presencial. Elas ficarão abertas, porém, para distribuição de materiais, alimentação e chips de internet para que estudantes acompanhem as aulas online. Todos esses serviços precisam de agendamento prévio diretamente com as direções. Os recessos do mês de abril e de outubro foram adiantados para o período entre 15 e 28 de março para que não haja dano ao calendário. Nesse período, nenhum dos estudantes terá atividades obrigatórias e todos deverão permanecer em casa. A recomendação do Estado para escolas particulares é de que elas também reduzam as atividades presenciais, fazendo apenas as necessárias. No caso delas, porém, a permissão para abertura com lotação máxima de 35% continua e caberá à instituição de ensino decidir por abrir ou não.

Alimentação

Nenhum bar ou restaurante poderá oferecer serviços de atendimento presencial no estado durante a Fase Emergencial. O serviço de retirada direto nos estabelecimentos, permitido no período da Fase Vermelha, não poderá funcionar durante a fase emergencial do Plano SP. Agora, apenas serviços de drive thru poderão receber clientes entre 5h e 20h e o serviço de delivery, que funciona 24h, poderá ser seguido normalmente. Os serviços de Bom Prato do Estado continuarão abertos para café da manhã, almoço e jantar sem alterações.

Serviços

Lojas de materiais de construção terão proibição completa de abrir. Igrejas e templos só poderão funcionar para atividades individuais, com a realização de celebrações coletivas terminantemente proibidas, assim como qualquer tipo de atividade esportiva coletiva. Atividades administrativas não-essenciais, como em órgãos públicos e escritórios, precisarão ser feitas por teletrabalho obrigatório. Serviços de callcenter poderão continuar a serem feitos presencialmente. Postos de gasolina, supermercados e farmácias continuam a ser considerados como serviços essenciais e não precisarão ter alteração no horário de funcionamento, assim como hospitais.

Transporte

O Estado garantiu que o sistema de transporte de trilhos sob responsabilidade do Governo, que corresponde ao trem e ao metrô, não será afetado e deve funcionar normalmente durante a fase emergencial. Um apelo também foi feito para que a normalidade seja aplicada aos transportes administrados pelos municípios. “Recomendamos que as prefeituras da região metropolitana, interior e litoral também não reduzam a oferta de ônibus ou outros tipos de transporte público para a população. Mantenham a oferta exatamente como está. O que nós precisamos é reduzir o número de pessoas usando o transporte público, não reduzir o volume e a disponibilidade do transporte público em São Paulo”, disse Doria. As fronteiras estaduais e municipais não serão fechadas e os veículos poderão circular normalmente pelas cidades, assim como poderão entrar e sair do Estado. A recomendação, porém, é de que todos fiquem em casa. Além de manter o transporte, o governo do Estado recomendou o escalonamento no horário de entrada dos trabalhadores essenciais para evitar aglomerações no transporte. Os empregadores da indústria foram orientados a pedir a entrada dos funcionários entre 5h e 7h; os de serviços, das 7h às 9h e os de comércio das 9h às 11h. Aplicativos de transporte e táxis também poderão continuar a funcionar normalmente.

Lazer

Um toque de recolher das 20h às 5h foi implementado em todo o Estado para evitar aglomerações na rua, terminantemente proibidas. Praias e parques ficarão fechados. O uso de máscara torna-se obrigatório em qualquer espaço, seja interno ou externo. “Aqui eu quero reforçar a importância de mesmo em pequenos encontros, dentro de casa às vezes, da utilização de máscara, porque se protege a todos que estão naquele ambiente, mesmo com um número reduzido de pessoas”, afirmou o coordenador do Centro de Contingência da Covid-19, Paulo Menezes. Denúncias de aglomerações poderão ser feitas nos telefones 0800-771-3541 e 3065-4666, assim como no site do Procon