Ernesto Araújo: ‘Críticas de Eduardo Bolsonaro à China não refletem posição do governo brasileiro’

O ministro das Relações Exteriores também criticou a postura do Embaixador da China no Brasil ao responder as críticas: ‘reação desproporcional’

  • Por Jovem Pan
  • 19/03/2020 14h57 - Atualizado em 19/03/2020 16h12
FÁTIMA MEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOErnesto Araújo, ministro das Relações Exteriores

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, informou nesta quinta-feira (19), por meio de nota, que as críticas feitas pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, “não refletem a posição do governo brasileiro”.

Araújo também criticou a postura adotada pelo Embaixador da China, Yang Wanming, ao responder o deputado.

“É inaceitável que o Embaixador Cina endosse ou compartilhe postagem ofensiva ao Chefe de Estado do Brasil e aos seus eleitores, como infelizmente ocorreu ontem à noite”, diz a nota.

Na noite desta quarta, Eduardo Bolsonaro culpou o país asiático pela pandemia do novo coronavírus. A embaixada chinesa respondeu.

Nas palavras do representante da China no Brasil, “ao voltar de Miami, o filho do presidente contraiu vírus mental, que está infectando a amizade entre os povos”.

A nota do Ministério das Relações Exteriores também avalia a reação do representante da China como “desproporcional”. “A reação do Embaixador da China foi, assim, desproporcional e feriu a boa prática diplomática. Já comuniquei ao Embaixador da China a insatisfação do governo brasileiro com seu comportamento. Temos expectativa de retratação por sua repostagem ofensiva ao Chefe de Estado”. diz a nota.

Araújo diz ainda que o Brasil quer manter as melhores reações com o governo e o povo chinês “sem jamais deixar de lado o respeito mútuo”.

“Conversarei com o Deputado Eduardo Bolsonaro e com o Embaixador da China, procurando promover um reentendimento recíproco”, finaliza a nota.