Doria erra ao afirmar que Brasil se aproxima de 316 mil mortos por Covid-19

Segundo a assessoria, governador cometeu equívoco ao confundir o número de mortos do estado de SP, que na quarta-feira havia sito de 316; Brasil acumula 75,4 mil óbitos

  • 16/07/2020 13h52
Newton Menezes/Estadão ConteúdoGovernador João Doria durante coletiva de imprensa

O governador de São Paulo, João Doria, cometeu um erro ao afirmar nesta quarta-feira, 15, que o Brasil está próximo de confirmar 316 mil mortes pelo novo coronavírus. Segundo dados do Ministério da Saúde, até as 18h de ontem, o país registrava 75.366 vítimas da doença, sendo 1.233 nas 24 horas anteriores. Procurada, a assessoria de imprensa do governador afirmou que Doria confundiu o número de mortos no Brasil com os 316 óbitos confirmados no estado de São Paulo naquele dia.

O governador falou o número ao defender que as festas de Réveillon e Carnaval só ocorram após a imunização da população contra a Covid-19. “O Brasil está prestes a alcançar 2 milhões de casos confirmados e 316 mil mortes [sic]. É a maior tragédia da história desse país em qualquer tempo. Não há nada a celebrar, não há nada a comemorar. E muita atenção também àqueles que, diante de um quadro como esse, ainda querem fazer atividades festivas de Ano-novo ou de Carnaval. Nós não temos que celebrar nem Ano-novo, nem Carnaval diante de uma pandemia”, afirmou. De acordo com a assessoria, apesar do dado equivocado, o governador mantém o teor do discurso.

Também nesta quarta-feira, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, reiterou que a cidade não irá organizar festas que geram concentração de pessoas até a imunização da população contra o novo coronavírus. Segundo o prefeito, as definições sobre as comemorações de Réveillon, Carnaval e outros grandes eventos do calendário da cidade serão encaminhadas nos próximos dias. Nesta quinta-feira, 16, o estado de São Paulo divulgou o acumulado de 19.038 óbitos e 402.048 casos de Covid-19 desde o início da pandemia.