Fiocruz projeta entregar em fevereiro as primeiras doses de vacina 100% fabricada no Brasil

Ingrediente Farmacêutico Ativo produzido pela Fundação para a vacina da AstraZeneca recebeu permissão da Anvisa nesta sexta

  • Por Jovem Pan
  • 07/01/2022 17h43
Reprodução/ TV Brasil fiocruz Produção da vacina da AstraZeneca não dependerá mais de ingredientes enviados da Índia

Após receber a permissão da Anvisa para a fabricação do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) para a vacina da AstraZeneca, a Fiocruz projeta a entrega das primeiras doses produzidas com o insumo nacional ao Ministério da Saúde em fevereiro de 2022, quando forem concluídos os testes de controle de qualidade que ocorrem depois do processamento final da vacina. Agora, a vacina será produzida inteiramente no Brasil, ajudando a reduzir a dependência de outros países, como a Índia. A Fiocruz iniciou a produção do IFA nacional em junho de 2021, após a transferência de tecnologia da AstraZeneca, prevista no contrato de compra do imunizante, e tem o equivalente a 21 milhões de doses, em diferentes etapas de produção e controle de qualidade.

No processo de aprovação, a Anvisa avaliou a equivalência do processo produtivo, para comprovar que as vacinas produzidas com o IFA de Bio-Manguinhos/Fiocruz possuem a mesma eficácia, segurança e qualidade das processadas com o ingrediente importado e seguem as mesmas etapas do processo produtivo e metodologias exigidas. A vacina da AstraZeneca recebeu autorização emergencial da Anvisa para ser usada no Brasil em 17 de janeiro de 2021 e o registro definitivo na agência em 12 de março de 2021. A transferência de tecnologia ocorreu em tempo recorde, em menos de um ano, enquanto procedimentos do tipo costumam levar até uma década.