Ministério Público denuncia jovem que matou jogadora de eSports com espada em SP

Segundo denúncia, Guilherme Alves da Costa afirmou que matou Ingrid Bueno porque ela ‘teria atravessado seu caminho’ e divulgou vídeo com imagens do corpo da vítima

  • Por Jovem Pan
  • 25/02/2021 16h33 - Atualizado em 25/02/2021 16h52
@Solcodm/InstagramIngrid, que usava o codinome "Sol", foi assassinada por outro jogador em São Paulo

O Ministério Público de São Paulo denunciou nesta quinta-feira, 25, Guilherme Alves da Costa, de 18 anos, que matou a golpes de faca e espada a jogadora de eSports Ingrid Oliveira Bueno, conhecida como Sol, de 19 anos, na última segunda-feira, 22, no bairro de Pirituba, Zona Norte da capital. Segundo os autos, o suspeito de cometer o crime narrou ao irmão que matou Ingrid porque ela “teria atravessado seu caminho”. O motivo pelo qual ela foi até a casa dele não foi revelado, mas a suspeita da polícia é que ele tenha a convidado para jogar, já que ambos estavam incluídos digitalmente em grupos de eSports.

No documento, o promotor solicitou a quebra de sigilo dos dados do aparelho de telefone do jovem e a realização de exame de insanidade mental do acusado por causa do teor do vídeo que ele gravou. Guilherme teria rido pela morte da vítima, afirmado que o sangue dela “não era tinta” e escrito um “livro” de 50 páginas narrando a vida dele. Segundo a denúncia, Guilherme tentou degolar a vítima e usou uma espada e uma faca para assassinar Ingrid. O suspeito foi acusado pelos crimes de homicídio duplamente qualificado por motivo torpe e uso de meio cruel. Fontes ouvidas pela Jovem Pan que não quiseram se identificar afirmaram que mesmo com a prisão do jovem, trechos do vídeo da vítima gravado por Guilherme são enviados para outras jogadoras do mundo dos eSports com ameaças. Todas as denúncias foram repassadas à polícia. O caso é investigado pelo 87º DP de São Paulo.