Ministério Público denuncia homem que atropelou e matou cicloativista em São Paulo

José Maria da Costa Júnior dirigia acima da velocidade e embriagado, além de não ter prestado socorro à vítima; Marina Kholer tinha 28 anos, era cicloativista e pesquisadora da USP

  • Por Jovem Pan
  • 16/12/2020 17h02 - Atualizado em 16/12/2020 20h16
Reprodução/YoutubeCrime aconteceu no dia 8 de novembro na Avenida Paulo VI, em Pinheiros

O homem que atropelou e matou a ciclista Marina Kholer Harlot, de 28 anos, no dia 8 de novembro em São Paulo foi denunciado pelo Ministério Público de São Paulo (MPSP) por crime de homicídio doloso qualificado. José Maria da Costa Júnior atingiu a vítima quando transitava, acima da velocidade e embriagado, pela Avenida Paulo VI, em Pinheiros. De acordo com o promotor Rogério Zagallo, Marina caiu ainda com vida, mas Costa Júnior não prestou socorro e deixou o local na tentativa de escapar da responsabilidade penal. A vítima chegou a ser socorrida por uma enfermeira e médicos que passavam por ali, mas as manobras de reanimação não surtiram efeito. Marina era cicloativista e pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP).

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) chegou a ser acionado, mas a vítima não resistiu aos ferimentos. Segundo informações da Polícia Militar, o crime ocorreu por volta das 0h17. Ainda de acordo com a denúncia, Costa Júnior foi flagrado por radares trafegando a 93 km/h, sendo que o máximo permitido é 50 km/h, “donde se conclui que ele era, de fato, responsável por uma forma de condução extremamente audaciosa e irresponsável”. Para a Promotoria, Guilherme Dias Mota e Isabela Maria Serafim, que estavam no carro do denunciado no momento do atropelamento, praticaram o crime de omissão de socorro. A eles, foi proposto acordo de transação penal prevendo o cumprimento antecipado de uma pena alternativa, consistente na doação de uma prestação pecuniária no valor de cinco salários mínimos, a ser destinada a entidade assistencial que acolhe crianças com deficiências.