Satélite Amazônia-1 será lançado ao espaço na madrugada deste domingo

A cobertura do lançamento, na Índia, será transmitida, ao vivo, neste sábado, a partir das 23h50, pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações

  • Por Jovem Pan
  • 27/02/2021 20h48 - Atualizado em 27/02/2021 20h57
Organização Indiana de Pesquisa Espacial / Agência BrasilO Amazônia-1 será o terceiro satélite brasileiro de sensoriamento remoto em operação e vai fornecer imagens para monitoramento da Terra

Na madrugada deste domingo, 28, o Amazônia-1, satélite totalmente projetado, integrado, testado e operado pelo Brasil, será lançado ao espaço no Satish Dhawan Space Centre, em Sriharikota, na Índia. Delegação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, que inclui o ministro e astronauta Marcos Pontes, viajou em missão ao país para acompanhar a decolagem, além de reunir com autoridades e visitar instituições das áreas espacial e de ciência e tecnologia. A cobertura do lançamento do satélite será transmitida, ao vivo, neste sábado, 27, a partir das 23h50, pelo canal do MCTI no YouTube. “Amazônia-1, o primeiro satélite 100% brasileiro. Servirá para monitorar nossa Amazônia. O  Brasil cada vez mais investindo em ciência e tecnologia”, anunciou o presidente Jair Bolsonaro em sua conta no Twitter, neste sábado. Participarão da transmissão especialistas do ministério, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais e da Agência Espacial Brasileira.

Além do CBERS-4 e CBERS-4A, o Amazônia-1 será o terceiro satélite brasileiro de sensoriamento remoto em operação, segundo o MCTI. O equipamento vai fornecer imagens para monitoramento da Terra. Os dados gerados também serão úteis para atender o monitoramento da região costeira, reservatórios de água, desastres ambientais e estarão à disposição da comunidade científica, órgãos de governo e quaisquer interessados. “Produção nacional, desenho nacional, indústria nacional, decolando para o espaço e, junto com ele, todas as nossas expectativas, todas as nossas esperanças. É uma honra estar aqui”, disse o ministro Pontes em vídeo divulgado nas redes sociais.

Amazônia-1

Com seis quilômetros de fios e 14 mil conexões elétricas, o Amazônia-1 é um satélite de órbita Sol síncrona (polar) que irá gerar imagens do planeta a cada 5 dias. Para isso, possui um imageador óptico de visada larga (câmera com 3 bandas de frequências no espectro visível VIS e 1 banda próxima do infravermelho Near Infrared ou NIR) capaz de observar uma faixa de aproximadamente 850 quilômetros com 64 metros de resolução. Sob demanda, o Amazônia-1 poderá fornecer dados de um ponto específico em dois dias. Esta característica é extremamente valiosa em aplicações de observação da Terra, pois aumenta a probabilidade de captura de imagens úteis diante da cobertura de nuvens na região. Os satélites da série Amazônia serão formados por dois módulos independentes: um Módulo de Serviço, que é a Plataforma Multimissão (PMM), e um Módulo de Carga Útil, que abriga câmeras imageadoras e equipamentos de gravação e transmissão de dados de imagens.