Situação de Cunha está cada vez mais difícil, diz líder da oposição

  • Por Agência Estado
  • 09/11/2015 17h41
Sessão extraordinária para discussão e votação de diversos projetos Data: 15/10/2015 - Foto: Alex Ferreira / Câmara dos DeputadosEduardo Cunha

O líder da minoria na Câmara dos Deputados, Bruno Araújo (PSDB-PE), disse nesta segunda-feira, 9, que a situação de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no comando da Casa se torna “cada vez mais difícil” após a admissão de que o peemedebista é beneficiário de recursos que estavam na Suíça.

Na avaliação do tucano, as explicações de Cunha não convenceram a sociedade, principalmente porque a explicação jurídica não deixa claro a titularidade dos recursos ocultos no exterior. “Do ponto de vista político, é difícil compreender como esse volume de recursos não atendeu pessoalmente o presidente da Câmara. Uma coisa é a defesa do ponto de vista jurídico. Do ponto de vista político, é algo que vai ficando cada vez mais difícil de se explicar”, comentou.

Araújo disse que a oposição já se manifestou de forma favorável ao afastamento de Cunha da presidência da Casa e disse que sua saída seria “bem melhor” para a instituição e para sua defesa. O tucano acredita que a sociedade cobrará uma posição firme do Conselho de Ética no julgamento do processo por quebra de decoro parlamentar. 

O líder sinalizou que os dois membros titulares do colegiado – Betinho Gomes (PE) e Nelson Marchezan Júnior (RS) – devem votar pela punição do peemedebista, uma vez que já declararam publicamente que consideram os fatos denunciados graves. 

A punição mais grave que o Conselho pode aplicar a um deputado é a aprovação de um pedido de cassação de mandato, o que precisa ser proposto pelo relator. “Por enquanto os fatos são graves e levam a uma posição dos nossos membros de compreender como difícil a situação do presidente”, afirmou.