Taxa de transmissão da Covid-19 no Brasil cai, mas continua alta, diz Imperial College

Ritmo de contágio passou de 1,13, em 15 de dezembro, para 1,04; números mostram que cada 100 pessoas contaminadas podem transmitir o vírus para outras 104

  • Por Jovem Pan
  • 05/01/2021 12h09 - Atualizado em 05/01/2021 12h13
OMAR DE OLIVEIRA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO - 04/01/2021Brasil está entre os 23 países com as maiores taxas de transmissão da Covid-19 no mundo

A taxa de transmissão (Rt) da Covid-19 no Brasil chegou a 1,04 nesta semana, segundo dados do Imperial College de Londres, no Reino Unido. Isso significa que cada 100 pessoas contaminadas transmitem o vírus para outras 104. De acordo com a margem de erro, a taxa pode ser de 0,92 até 1,26, o que significaria que, a cada 100 pessoas com o vírus, infectariam outras 92 ou 126, respectivamente. A pesquisa foi divulgada nesta terça-feira, 5, e se refere a semana que começou nesta segunda. O levantamento estima que cerca de 5.440 óbitos por coronavírus serão registrados nesta semana. A semana anterior totalizou 4.923 mortes causadas pelo vírus.

O índice observou uma queda em relação aos dados divulgados em 15 de dezembro, quando o Rt no Brasil estava em 1,13. Mesmo assim, a taxa continua alta. O Imperial College alerta que o número de casos e óbitos no país está constantemente mudando e que “os resultados devem ser interpretados com cautela”. O Brasil está entre os 23 países com as maiores taxas de transmissão da Covid-19 no mundo. Honduras registra o maior índice: 1.78. Em seguida, aparece Bolívia, com 1,72, e Irlanda, com 1.45. Reino Unido mostra um índice de 1,22. Na segunda-feira, 4, o total de infectados pelo novo coronavírus aumentou para 7.751.721, enquanto que o número de vítimas da doença desde o início da pandemia, em março de 2020, saltou para 196.484, fazendo do Brasil o segundo país com mais mortes por Covid-19, atrás dos Estados Unidos, com 352 mil mortes. Em relação ao número de casos, o Brasil é a terceira nação com mais infectados, atrás dos EUA e da Índia.