Celac pedirá fim de todas as medidas dos EUA contra Cuba

  • Por Agencia EFE
  • 29/01/2015 03h47

Belém (Costa Rica), 28 jan (EFE).- A Celac pedirá aos Estados Unidos o fim do embargo econômico sobre Cuba e que a ilha seja retirada da lista de países que promovem o terrorismo internacional, segundo as minutas das declarações finais da terceira cúpula do bloco, que acontece na Costa Rica, e das quais a Agência Efe teve acesso nesta quarta-feira.

Essas solicitações estão contidas nos documentos prévios, que já foram aprovados pelos chanceleres, e que passarão para a discussão dos presidentes presentes na 3ª Cúpula da Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac), que acontece entre hoje e amanhã na cidade costa-riquenha de Belém, a cerca de 15 quilômetros da capital San José.

A Celac pede que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, “adote todas as medidas que estejam dentro de suas faculdades executivas para modificar substancialmente a aplicação do embargo sobre Cuba”, diz um dos documentos que a Efe teve acesso.

Além disso, a Celac solicita que “o Congresso dos Estados Unidos inicie, o mais rápido possível, uma discussão sobre a eliminação dessa política contra a maior das Antilhas”.

O texto estipulado, além de lembrar as 23 resoluções aprovadas pela Assembleia Geral das Nações Unidas sobre o tema, faz um “pedido à comunidade internacional para que mantenha uma atitude de rejeição ao bloqueio enquanto o mesmo persistir”.

A Celac rejeita “a intensificação da dimensão extraterritorial do embargo, em particular a perseguição às transações financeiras internacionais de Cuba”.

Nesse texto, além de expressar rejeição ao embargo e lembrar que o mesmo viola um dos princípios do Direito Internacional, a Celac “parabeniza os presidentes dos Estados Unidos e Cuba pelo anúncio feito no dia 17 de dezembro sobre o restabelecimento das relações diplomáticas entre os dois países”.

Em outra minuta de declaração especial, a Celac “condena energicamente a inclusão de Cuba na lista de países que promovem o terrorismo internacional do Departamento de Estado dos Estados Unidos”.

A 3ª Cúpula da Celac foi convocada sob o lema “Construindo Juntos” e o principal objetivo da reunião é desenvolver uma estratégia para erradicar a pobreza extrema da região.

Estão presentes 21 dos presidentes e chefes do governo dos 33 países-membros.

Os ausentes que enviaram outra representação são Paraguai, Suriname, Santa Lúcia, Argentina, Belize, São Cristóvão e Névis, Barbados, Dominica, São Vicente e Granadinas, Granada, México e Peru.

A Costa Rica desembolsou cerca de US$ 4,3 milhões para organizar a cúpula, que conta com cerca de mil jornalistas de diferentes países e mais de mil pessoas que integram as diferentes delegações de países e organizações participantes. EFE

av/rpr