Bitcoin despenca mais de 10% depois de Elon Musk anunciar que suspenderá o uso da criptomoeda

Moeda virtual fica abaixo de US$ 50 mil pela primeira vez desde março; bilionário justificou decisão por danos causados ao meio ambiente

  • Por Jovem Pan
  • 13/05/2021 16h01 - Atualizado em 13/05/2021 17h20
Bermix Studio/UnsplashMoeda caiu para abaixo de US$ 50 mil pela primeira vez desde março após comentário de Elon Musk

O valor do bitcoin despencou nas últimas horas depois de o bilionário Elon Musk afirmar nesta quarta-feira, 12, que irá suspender o uso da criptomoeda na compra dos carros da Tesla. A moeda registrou recuo acima de 10% nas últimas 24 horas, e por volta das 15h50, estava avaliada em US$ 48,269.92 (cerca de R$ 255,8 mil). Esta é a primeira vez que a moeda digital fica abaixo de US$ 50 mil desde o início de março. A queda se estendeu aos papéis da Tesla no mercado financeiro, que registravam baixa de 2,5% na Nasdaq, a Bolsa de Valores das empresas de tecnologia. Em uma postagem no Twitter, o sul-africano justificou a suspensão pelos efeitos da mineração da criptomoeda ao meio ambiente. “Estamos preocupados com o rápido aumento do uso de combustíveis fósseis para a mineração e a transação do bitcoin, especialmente o uso do carvão, que tem as piores emissões de qualquer combustível.”

Apesar de suspender as compras de veículos da Tesla com o bitcoin, Musk afirmou que as criptomoedas são “uma boa ideia em diferentes níveis” e que acredita que o há um “futuro promissor, mas que isso não pode acontecer através dos grandes custos ao meio ambiente”. O bilionário ainda disse que a Tesla não vai se desfazer dos bitcoins já adquiridos, e que essa reserva será usada “assim que as minerações forem mais energicamente sustentáveis”. O bitcoin vinha em sequência de alta desde o fim do ano passado, impulsionado pela adesão de investidores institucionais, como são chamadas as empresas, fundos, bancos, entre outros atores de grande relevância no mercado financeiro. O próprio Musk foi um dos entusiastas da ideia e aportou US$ 1,5 bilhão na criptomoeda em fevereiro, levando a cotação para acima dos US$ 50 mil pela primeira vez na história. Apesar da queda nas últimas horas, o bitcoin ainda acumula alta de 65% em 2021.