Novo ministério vai seguir alinhado com as nossas políticas, diz Guedes

Chefe da equipe econômica volta a minimizar o desmembramento da pasta e afirma que o atual secretário-executivo permanecerá na equipe de Onyx Lorenzoni

  • Por Jovem Pan
  • 29/07/2021 12h36 - Atualizado em 29/07/2021 12h44
Fátima Meira/Estadão ConteúdoMinistro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que a política econômica não será alterada com a criação da nova pasta do Emprego e Previdência

Ministro da Economia, Paulo Guedes afirmou nesta quinta-feira, 29, que a pasta do Trabalho e Previdência vai seguir alinhada à política econômica do governo federal e que o atual secretário-executivo, Bruno Bianco, continuará na equipe do novo ministro Onyx Lorenzoni. “[O novo ministério] vai seguir na mesma direção, totalmente alinhado com as nossas políticas. O ministro Onyx está comigo desde a campanha eleitoral, com o presidente Bolsonaro, desenhamos juntos os programas sociais”, afirmou. O chefe da equipe econômica falou durante a apresentação da criação de 309 mil empregos formais ante demissões no mês de junho. Em sua última participação na divulgação dos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), Guedes voltou a afirmar que os dados da geração de emprego comprovam a retomada da economia após o choque causado pelo novo coronavírus. “Pela primeira vez desde 2015 e 2016, quando tivemos duas recessões autoimpostas, atingimos o patamar de 40 milhões de empregos formais”, afirmou.

O chefe da equipe econômica também adiantou que o novo ministro deve anunciar em breve a continuidade dos programas para a criação de empregos. Uma das iniciativas é dividida entre o Bônus de Inclusão Produtiva (BIP), custeado pelo governo, e a Bolsa de Incentivo à Qualificação (BIQ), pago pela iniciativa privada. Essa ação já havia sido divulgada pelo ministério e tem alvo o público entre 16 e 26 anos. Segundo o governo, o programa terá carga de quatro horas, ou meia jornada de trabalho, e pagará meio salário mínimo, atualmente de R$ 1.100. O objetivo é gerar dois milhões de empregos. A outra iniciativa, que deverá ser anunciada por Onyx, é o programa de serviço social voluntário. “Tememos muito o efeito cicatriz, que é a mutilação de uma geração em função de uma pandemia. Queremos acelerar a absorção desses jovens, seja com treinamento de qualificação profissional, seja com o serviço social voluntário, para que eles se preparem para o mercado formal de trabalho”, disse o ministro.

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho foi alçada ao posto de ministério em meio à reforma promovida pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A nova pasta terá o comando de Onyx e foi criada para acomodar o senador Ciro Nogueira (PP-PI), um dos líderes do Centrão, no governo federal. Nogueira assume a Casa Civil, ocupada então por Luiz Eduardo Ramos. O general da reserva, por sua vez, foi realocado para a Secretaria Geral da Presidência, chefiada por Onyx. O desmembramento da equipe econômica já havia sido minimizado pelo ministro Paulo Guedes, que negou que o movimento impactará na condução da Economia.