Prévia do PIB avança 0,7% em novembro após três meses de queda

Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) acumula alta de 4,6% desde janeiro

  • Por Jovem Pan
  • 17/01/2022 12h29
Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas Notas de 100 reais enfileiradas Arrecadação com impostos registrou novo recorde histórico em janeiro de 2022

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado a prévia do Produto Interno Bruto (PIB), registrou alta de 0,69% em novembro, o primeiro resultado positivo após três meses de queda, segundo dados divulgados pela autoridade monetária nesta segunda-feira, 17. Na comparação com novembro de 2020, o indicador subiu 0,43%. No acumulado do ano, o IBC-Br registrou avanço de 4,59%, enquanto nos últimos 12 meses a alta foi de 4,3%.

O IBC-Br é visto pelos analistas como um antecedente do PIB, mesmo que a metodologia usada pelo Banco Central (BC) seja diferente da empregada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), responsável pela divulgação da atividade econômica nacional a cada três meses. Enquanto a análise do BC considera variáveis dos setores de serviço, indústria e agronegócio, o resultado do IBGE é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país.

O desempenho do IBC-Br veio em linha com os resultados positivos registrados no varejo e serviços em novembro, enquanto a indústria apresentou estabilidade. Dados do IBGE apontaram para alta de 0,6% no comércio e 2,4% na prestação de serviços. Já a atividade industrial recuou 0,2% no mês. O PIB doméstico encolheu 0,1% no terceiro trimestre em comparação com os três meses anteriores, o segundo desempenho negativo seguido. O resultado do quarto trimestre e do ano de 2021 será divulgado pelo IBGE no início de março.