Redução do IR para empresas pode ser de 10 pontos percentuais com o corte de subsídios, diz Guedes

Ministro afirma que é necessário coragem do governo federal para retirar lobbies de empresas e setores da economia

  • Por Jovem Pan
  • 01/07/2021 12h23
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência BrasilMinistro revisou o aumento do corte no Imposto de Renda para empresas pela segunda vez nesta semana

Ministro da Economia, Paulo Guedes afirmou nesta quinta-feira, 1º, que a redução do Imposto de Renda para pessoas jurídicas pode ser de 10 pontos percentuais caso o governo tenha a coragem de retirar o lobby de algumas empresas e setores da economia. O chefe da equipe econômica afirmou que a nova redução pode ser implementada de forma “imediata”. “Removendo alguns subsídios que valem para um ou duas empresas, geralmente em cartel, oligopólio ou até monopólio, nós podemos ambicionar uma redução de 10 [pontos percentuais] para todos”, afirmou, sem citar as empresas ou setores que podem ser afetados pelo corte de benefícios federais. “[Há] Alguns setores, mas particularmente algumas empresas, com muito lobby político, que também é válido, é uma democracia, todo mundo pode fazer seu lobby. Agora, cabe ao governo filtrar o que é desejável.”

Esta é a segunda revisão no corte do Imposto de Renda para pessoas jurídicas exposta pelo ministro nesta semana. Na terça-feira, 29, Guedes defendeu expandir a redução para 5 pontos percentuais em 2022, contra a orientação de 2,5 pontos percentuais encaminhada ao Congresso na segunda etapa da reforma tributária. Em participação na apresentação dos dados da criação de empregos formais em maio, o ministro afirmou que “não tem compromisso com o erro”, rebatendo criticas de que as mudanças propostas pelo governo iriam resultar no aumento de impostos para alguns setores. “Nós sinalizamos que íamos baixar 2,5 [ponto percentual], mais 2,5. Estamos recalibrando e podemos baixar entre 5 e 10, dependendo da nossa coragem de remover outros subsídios específicos.”

Em sua fala, Guedes também rebateu as críticas sobre a taxação de dividendos como meio para reduzir os tributos de pessoas físicas e jurídicas. “É simplesmente inaceitável em uma sociedade desigual como a brasileira que 20 mil pessoas recebam R$ 280 bilhões em isenções. Vai ter muita reclamação, mas estamos convencidos de que estamos no passo certo.” A redução do IR para empresas é um dos pontos da proposta de reformulação do sistema tributário desenhada pelo governo federal. O documento entregue ao presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), prevê o corte de 2,5 pontos percentuais ao ano. Atualmente, a alíquota geral da tributação das pessoas jurídicas é de 15%, com um adicional de 10% para lucros acima de R$ 20 mil por mês. A sugestão original da equipe econômica era reduzir para 12,5% em 2022 e 10% a partir de 2023.